domingo, 5 de novembro de 2017

Coisas do capeta


O comunismo, o islamismo e o bode. Embora o bode seja associado ao demônio, o sacrifício de animais é bem descrito na Bíblia!

Agora olha o que acontece quando endireitamos o símbolo comunista! kkkkk


Realmente é um fato que parte das religiões pagãs eram doentias e assassinas, lembremos do homem de vime dos celtas (wicker man); mas diferente do que muitos pensam nem todas as religiões pagãs eram realmente más.

Um autor de ufologia norte-americano chamado William Bramley em seu livros Gods of Eden considerou que a religião judaica e suas ramificações (cristianismo e islamismo) foram usadas para mudar o espirito assassino e anti-humano que as religiões pagãs em si tinham.

Mas historicamente as religiões pagãs eram uma confusão, porque como o próprio plural já demonstra eram várias crenças em vários locais do mundo, quando não numa mesma região tinha-se mais de uma religião com ritos diferentes; embora que com algumas crenças parecidas.


Os pagãos e a falta de um livro de história e leis


O que fez o judaísmo obter sucesso e influência foi o fato de que tinha escritos bem determinados com leis junto com histórias com certa moral. Embora que gregos e romanos tivessem seus contos e práticas muito bem escritas, eles não tinham um manuscrito de grande importância para seguir como a Bíblia e seus costumes e leis poderiam ser alterados com o tempo; os romanos, por exemplo, criaram um modelo de justiça próprio.

Já no Oriente nos deparamos com o hinduísmo e os vedas ambos representam as práticas religiosas mais antigas do mundo ainda vivas. O hinduísmo, por vezes, é visto como uma religião pagã, mas será que realmente é? Na verdade não, pagão se refere a campo e paganismo as diversas religiões campestres que haviam ainda na Europa Medieval. O termo pagão surgiu durante a Idade Média para definir os não cristãos, geralmente tratados como “não civilizados pelo amor de Cristo”.


Interpretações históricas erradas


É um fato que na história sempre há interpretações equivocadas como de Margareth Murray que criou uma teoria pseudo-religiosa de que a figura de Cernunnos seria um deus-bode onipotente na Europa pré-cristã no livro O Culto das Bruxas na Europa Ocidental. Marija Gimbutas, brilhante estudiosa que descobriu a origem dos  proto-indo-europeus, também cometeu o mesmo erro achando que a Europa pré-ariana seguia uma linhagem matriarcal e um culto à deusa. Ambas teorias são interessantes se não fosse o fato dos europeus terem sido politeístas no caso da teoria de Murray e de objetos arqueológicos na Europa antiga indicando uma sociedade mista contra a teoria de Gimbutas.  Sabe-se que o culto à Cernunnos foi real, mas ele não era um deus-onipotente e que a Europa pré-ariana era em si mais comunitária (socialista) em relação a população proto-indo-europeia que viria residir posteriormente na Europa.


Símbolos sagrados e demoníacos

Que símbolo pagão mais marginalizado que o pentagrama? Contudo o símbolo só se torna demoníaco quando invertido (Será que foi daí que veio a inspiração da cruz virada? kkkkk). Cornelius Agrippa no livro De Occulta Philosophia Libri III lembra de que o pentagrama é mais do que um símbolo pagão, ele é a síntese energética do corpo humano. Leonardo da Vinci já havia notado a semelhança entre o pentagrama e o corpo humano na figura do homem vitruviano muito antes de Agrippa.

Pentagrama de Cornelius Agrippa.

Fonte da imagem: 

Pentagrama no homem vitruviano de Leonardo Da Vinci.



Mas será que o judaísmo, o cristianismo, o islamismo e também o comunismo são de fato ideologias boas?

Esta é a bandeira da turquia na vertical.


Agora veja o que acontece quando adicionamos a caricatura do bode!

O que falar do judaísmo e sua injustiça mais famosa: a crucificação de Cristo, isso sem contar dos escândalos do rei Davi e de outros personagens bíblicos como Caim que matou Abel.

Ou do cristianismo sentenciando milhões de pessoas à morrerem vivas nas fogueiras santas. Ou do islamismo matando com suas guerras de expansão, da opressão à mulher e a homofobia latente que levou milhões à morte violando inclusive um dos ensinamentos dados a Moisés por Deus (Não Matarás n’Os 10 Mandamentos).

Há conservadores que discordam do nazismo ter sido de direita, contudo as características do regime criado por Adolf Hitler tem mais características de direita do que esquerda.

E o que falar do comunismo? 6 milhões de mortos só de fome, lembrando que ultrapassou o colonialismo inglês que matou 3 milhões de fome na Irlanda do século XIX. Sem contar os gulags, a violação dos direitos humanos e contando que o comunismo com sua síntese ateísta conseguiu ser pior que todos os demais, exceto em comparação com o islamismo.

Realmente o paganismo é uma superstição santa comparada à essas citadas acima, porque não concentrava poder. E eis o problema de todas essas ideologias: a grande concentração de poder nas mãos de poucos.




Agora vamos para uma análise final das imagens:





Então por que a estrela de Davi tem 6 lados, porran?


Tudo dá 6 fazendo cálculos da numerologia. E olhem que os judeus são bem supersticiosos com números, tá aí a cabala que não me deixa mentir!


Resumimos que o número da besta (666) é bem representado pelo hexagrama, ou melhor: a estrela de Davi.


Fonte da imagem:



domingo, 10 de setembro de 2017

A origem da palavra dracarys e uma aulinha de história

A águia era símbolo do império romano e da alta realeza que o império representava. As similaridades entre águias e dragões é a mesma entre aves e dinossauros e sabemos que as aves descendem dos dinossauros.

Na imagem: águia na tumba de Marcus Valerius Messalla Corvinus (64 aC - 8 dC), general romano. A tumba fica no Museo del Prado, em Madri. 



Eu perguntei pra minha irmã o que significava a palavra dracarys que aparece na famosa série Game of Thrones e ela depois de pensar um pouco não soube responder. Aí deixei ela pesquisar na internet e eis que me disse:

- Vem do lituano e significa “fogo de dragão”!

huehueheuheueu

Eu dei risada, né.

Aí expliquei:

- Dracarys vem do latim draco que significa dragão e aris do latim aris.
Contudo eu estava um pouco errado:

Dragão em inglês é dragon que vem do grego drakon e arys do latim aeris. Sem falar da possibilidade de radicais proto-indo-europeus, sim italiano e grego são línguas de vem dessa língua antiga, mas é aí já tem que ser um linguista especialista em línguas antigas pra se concluir tal afirmação.

Dracarys significa: “ar de dragão”.

Essa conclusão eu tirei por conta própria, porque me lembrei da época que eu estudava os radicais latinos e também porque no inglês e no latim (se eu não me engano) o adjetivo sempre vem antes do substantivo.

No inglês, língua do linguista que criou a linguagem valiriana, dragon air significa ar de dragão (dragon= dragon, air = ar).

Mas dá pra usar como comando:

Dragão-ar!

Ou dragão+ar, assim como ctrl + alt kkkk.

Contudo se o linguista que criou a linguagem valiriana disse que arys significa fogo, então quem sou eu pra discordar! Todavia o contexto de toda a trama é baseada na história pré-medieval e medieval.

Em nórdico drakkar era o nome dado a uma embarcação que tinha um dragão esculpido na proa.


Em português a palavra dracarys seria traduzida para dragar que existe em português e significa arrastar. Contudo a origem de dragar vem do inglês drag que significa arrastar e não tem nada haver com dragão (fonte: Dicionário Aurélio do Século XXI).


O contexto europeu medieval na trama

Todo o universo de Game of Thrones é baseado no mundo medieval europeu e aí temos a queda de Valíria (queda do império romano), os dothraki (turcos), casas nobres de westeros (casas nobres europeias), os filhos da floresta (fadas e duendes), a religião dos sete (paganismo), a religião do deus vermelho (cristianismo) e por aí vai.


Pesquisando no Guugol:

Aí lá fui eu digitando:

Dracarys etimology
Dracarys meaning

E os resultados todos diziam: dragonfire!

Dracarys também encarna a expressão italiana per attaccare que significa “atacar”. JK Rowling usou o latim em Harry Potter para as palavras mágicas. No contexto histórico o latim foi considerado língua sagrada; pois era usado pela Igreja Católica Romana do Ocidente como língua vital, porque todos os escritos da igreja católica romana estavam em latim. Todos os estudos, crenças e tradições que os romanos anotaram estavam em latim e desconhecer o latim tornava os sacerdotes incultos. Lembre-se que foi a Igreja Católica Romana do Ocidente que herdou todo o império romano do Ocidente.

Se lembra de quando sua professora de história dizia que “houve uma época em que todo o conhecimento estava nas mãos da igreja”?

Poisé, e hoje o conhecimento está mais acessível através da internet e isso nos mostra duas questões: ou são os sites de busca ruins ou somos nós que ficamos preguiçosos demais em pesquisar a fundo.



quarta-feira, 17 de maio de 2017

Os desertos nos trópicos – o erro nos mapa-mundis

Mapa Mundi mostrando as verdadeiras zonas em paralelos. Mapa construído a partir do mapa mundi em relevo e vegetação Envisat - ESA.

Quando você estudava na aula de geografia sobre a partição do mundo em linha do Equador e Trópicos você estava sendo enganado da mesma maneira que achava ser o Hemisfério Norte maior que o Sul na antiga definição de Mercator.

Trópicos estão errados

Pela avaliação do clima, porcentagem de UV, desenvolvimento vegetal e animal, desenvolvimento humano e áreas desérticas ou em processo de desertificação; podemos tirar por base que os verdadeiros trópicos estão nos paralelos 15º e não mais no 20º como costuma ser colocado, mesmo assim podemos continuar os utilizando sem grandes problemas, porém o paralelo 15º nos oferece maiores respostas.

Entre os paralelos 15º e 50º:

* Estão os desertos;
* A baixa vegetação (menos florestas e mais estepes);
* Estão os países mais bem temperados;
* Se encontram as nações mais ricas e também mais desiguais do mundo.


Entre os paralelos 15º e 15º:

* Estão as grandes florestas equatoriais;
* A grande diversidade biológica do mundo;
* E o clima mais quente possível.


Países de clima frio = nações mais desenvolvidas do mundo
Os tipos de clima e sua influencia no desenvolvimento vegetal, animal e humano. Notamos que as zonas mais desiguais são aquelas em países temperados. Imagem montada a partir do Envisat - ESA.

As únicas exceções são as nações que sofreram com ditaduras na segunda metade do século XX (20), ou seja, no inicio dos anos 50 e fim nos anos 90 e aí temos Rússia, Cazaquistão, Países Bálticos, Chile e Argentina.
No resto o desenvolvimento notável dos países nórdicos e Canadá só é afetado pela porquice dos ingleses e irlandeses.

Notável também é que em volta do paralelo 50º temos uma vegetação bem condicionada que só é deixada pra trás pela vegetação equatoriana que se encontra entre os dois paralelos 15º.


Desertos entre os paralelos 15 e 50

O mais notável são os desertos que estão entre os paralelos 15º e 50º, isso interfere no desenvolvimento humano, já que o homem necessita da vegetação tanto para agricultura como para pecuária.

Talvez o motivo principal da zona equatorial não ser tão desenvolvida esteja no fato de ser uma zona muito quente e mais própria para a matéria vegetal do que animal.


Na climatologia

Essa crença em definir o clima em apenas 3 é tosca, mas ajuda a entender mais facilmente a influência da luz do Sol no mundo e seu efeito climático. As zonas temperadas são como uma casa com laje, cujo efeito do clima só é sentido ao entardecer e no amanhecer; enquanto as zonas frias e zona a quente são como casas de madeira que esfriam ao anoitecer e esquentam ao amanhecer por causa da influência do Sol.


O mais tosco, disso tudo, é acreditar nos trópicos de Câncer e Capricórnio, assim como aqueles que acreditavam que a definição de Mercator estava correcta (sic)!

terça-feira, 16 de maio de 2017

6 motivos que tornam o nazismo de direita e 3 que o tornam de esquerda

A definição de direita e esquerda no mundo contemporâneo tem origem na França depois da revolução francesa, onde os conservadores ficavam à direita da assembléia e os socialistas à esquerda. As cores adotadas por ambos também teve origem na bandeira francesa, onde os conservadores adotariam o azul e os socialistas o vermelho. Aqueles que ficavam divididos e eram neutros adotaram o branco.

O próprio nome do partido NAZI (Partido Nacional dos Trabalhadores Alemães) é uma fusão entre o nacionalismo-conservacionista e esquerdismo-partidário. Essa fusão daria origem a uma poderosa politica de centro-direita na Alemanha.

O partido nazista ganhou popularidade ao defender os agricultores e pecuaristas, justamente os mais pobres e tradicionais na Alemanha.

6 motivos que o tornam de direita:

1. Valorização da família - acredite ou não; mas os alto oficiais do partido NAZI tinham uma família tradicional. O nazismo defendia como valores a família tradicional alemã dando ênfase na união baseada no matrimônio. O lebensborn project não passava da criação de um exército de fantoches que seriam usados na guerra e depois poderiam ser integrados na sociedade alemã. George Lucas usou essa ideia do lebensborn project e criou o famoso exército de clones no episódio II de Star Wars – O Ataque dos Clones.

2. Nacionalismo - nacionalismo é de direita, USA tá cheio disso. É de ideologia comunista a integração total

3. Segregação e perseguição a minorias étnicas (judeus, eslavos, ciganos...) - os ingleses e espanhóis mataram indígenas adoidados; 

4. Uma religião única e forte fundida ao estado - os nazistas não eram cristãos, mas sim tinha uma neo-religião pagã baseada nos cultos da religião ariana; 

5. Só faz sexo quem é normal (LEBENSBORN PROJECT - PROJETO DE EUGENIA) - embora a direita cristã defenda os deficientes e homossexuais, ela é contra a cópula de pessoas deficientes e homossexuais;

6. Escravizar povos inferiores – acredite ou não, mas isso é uma característica de direita. Temos que lembrar que na direita quem prevalece é o mais forte (O FORTE É MAIS FORTE SOZINHO – capítulo do Mein Keimpf – a Bíblia nazi) e que as grandes civilizações do mundo escravizaram o pessoal loucamente. O fim da escravidão só iniciou graças a Igreja Católica que era uma entidade estatal e que viria a criar o socialismo. As raízes do socialismo têm inicio na igreja católica e fim no iluminismo, quando Karl Marx compensou o humanismo associado a intervenção politica, mas dando ênfase numa igualdade utópica possivelmente vindo dos ideais iluministas e da revolução francesa, muito anterior a Marx.


3 motivos que o tornam de esquerda:

1. O estado diz o que você deve fazer – se por um lado a direita diz “vá e faça”, o socialismo tende a dizer o que você deve fazer para o bem maior. E assim Hitler fez no quesito social, colocando as pessoas onde elas deveriam estar.

2. Influência do estado na economia – se por um lado a direita diz “vá e faça”  economicamente, no socialismo há a ajuda estatal. As medidas do partido nazista foram de estatizar a economia, mas deixando certa liberdade aos empresários no inicio. Contudo lembramos que quando o Reino Unido entrou em guerra contra os nazistas a economia também se tornou estatizada, assim como nos Estados Unidos.

3. Só é possível se for pra todo mundo – a ideia de um vilão malvado querendo dominar o mundo surgiu na segunda guerra com Hitler. Embora houvesse Alexandre O Grande, Gengis Khan e Napoleão; a ideia é contemporânea. O socialismo só é possível se for global, pois se não fosse iria ocorrer o mesmo com cubanos que fogem para os Estados Unidos do regime iniciado por Fidel Castro. Hitler sem dúvida sabia que nações onde a liberdade era grande, a economia e a sociedade também se desenvolveriam melhor. Note que as nações germânicas só viriam alcançar o desenvolvimento esplêndido por causa da grande liberdade socioeconômica que tinham, no império romano tamanha liberdade era demasiadamente limitada. 

O liberalismo politico e a pouca burocracia tem raízes nos códigos orais de conduta dos povos germânicos. Os vikings, por exemplo, não tinham tribunais ou leis escritas; mas tinham uma reunião chamada de “a coisa”, essa reunião era chamada assim devido a pouca atenção que davam ao comportamento. Note que embora os povos germânicos possam se gabar de seu liberalismo e da baixa burocracia, os casos de bullyng são piores nos países germânicos. 

Nota-se também que a caça as bruxas se inicia na Alemanha e o maior número de assassinatos se encontra nas nações celto-germânicas, enquanto os países latinos o número de mortos acusados de bruxaria é ilusório perto das nações germânicas. Há quem questione que o número de mortos é maior nas nações germânicas, porque era o lugar onde ainda residia fortemente religiões pagãs antigas.


E a democracia para direita e a esquerda?

Na extrema-direita as minorias não são representadas e são segregadas e na extrema-esquerda as minorias podem ou ser eliminadas para que a sociedade fique igual (como foi feito na Alemanha Nazi e na União Soviética) ou tenham direitos iguais.

Digamos que a direita segrega e a esquerda segrega e depois mata para igualizar uma população.


Triunfo da esquerda no mundo pós-guerra

O nazismo não só deixou a Europa e o mundo debitados fisicamente como também psicologicamente. As ações nazistas associadas a direita em sua maioria causaram um impacto tão grande que nações extremamente conservadoras como Reino Unido só vieram a acreditar nas politicas de direita quando a politica de esquerda fracassou economicamente por lá e fez ascender nos anos 80, muito depois da 2ª guerra, Margaret Thatcher usada como fantoche da direita demonstrando o apresso que o Partido Conservador britânico tinha pelas mulheres e por seu dom na fala.


Foram pouquíssimas as nações que se conservaram à direita da situação e as que assim o fizeram se deram bem, como os Estados Unidos que, aliás, foi a nação que mais ganhou com a 2ª guerra e se manteve como soberana do mundo.


sábado, 13 de maio de 2017

Lúcifer é versão cristã de Prometheus e Adão e Eva do mito de Pandora!

O
Lúcifer de Gustave Doré

Nem precisaria eu dissertar sobre o assunto, mas vamos lá!


Lúcifer, o anjo caído, não aparece no Velho Testamento!

Os judeus não acreditavam num ser do mal supremo, isso veio da religião ariana e aparece nitidamente na religião zoroastrista. Note que em Isaías 14,12 a menção a Lúcifer se refere a tradução latina e ao planeta Vênus conhecido pelos romanos como Lúcifer (lux= luz, fera= que contém; "aquele que tem luz", "o iluminado").

"Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações!"

A menção é dirigida ao rei Nabucodonosor e não ao próprio demônio em pessoa. Já em Jó a menção é de um demônio e não um ser de poder igual ao de Deus, mas semelhante. Nota-se também a presença dos monstros leviatan e behemoth!

Na mitologia germânica o deus Loki se assemelha muito com o Lúcifer cristão. Mitólogos comparam também a semelhança incrível entre o deus germânico Balder, o deus indiano Krishna com Jesus Cristo.


Demônios uma crença universal

Os judeus acreditavam em demônios, assim como Sócrates que dizia que parte de seu conhecimento vinha de um demônio que ora o ajudava, ora o atrapalhava. Os árabes também acreditam em demônios e os chamam de djins (gênios em português).

A palavra demônio vem do indo-europeu demon (de=o, do; mon= meio) e significa: “intermediário” ou “aquele que está no meio”.

Na índia nos deparamos com os devas, no Japão com os samis, embora que os samis seriam entidades mais próximas aos vanes e ases da mitologia germânica por exemplo.

Na mitologia germano-celta as fadas, os elfos e os dragões são os seres intermediários. Tanto é que na Idade Média Paracelso viria os colocar em classes divididas nos 4 elementos: ar, fogo, terra e água.

Então resumindo: Os judeus acreditavam em demônios, mas não acreditavam que o poder dos demônios fosse maior ou igual ao de Deus.


Mitos transformados?

Os cristãos eram diferentes dos judeus, primeiro porque eram mais apegados a cultos pagãos simples e moderados. Note bem que o cristianismo só conseguiu vingar na Europa, porque a igreja teve que se dobrar ao paganismo que lá havia. Os europeus se negavam a abandonar a adoração aos ídolos, o fim das festas estacionais, o fim da adoração ao fogo e a natureza e o fim dos templos.

A mesma coisa aconteceu quando Maomé, o profeta islâmico conquistou Meca: não podendo acabar com o culto da caaba, ele unificou em sua fé e disse que a pedra que caiu do céu (um meteorito – uma estrela cadente – que, possivelmente, salvara uma tribo de árabes perdida no deserto com fome e sede e que caíra num Oásis indicando àquela tribo que onde ela caíra haveria água e comida. Meca seria erigida no Oásis onde a estrela cadente caíra e aquela estrela morta – uma pedra negra – seria adorada por ter salvado essa tribo de árabes) deveria ser um sinal de Allah e igualmente idolatrada.

Belas adaptações ou mitos semelhantes?

“Quem conta um conto aumenta um ponto” ou “quem conta um conto inventa um pouco”, ou melhor: quem conta um conto inventa o que se esqueceu no conto.

Das duas, uma: ou foram mitos pegos dos gregos e transformados em crenças cristãs; ou já existiam, assim como a história do dilúvio ser um caso universal.

O mito do andrógino, por exemplo, não é de autoria de Platão (429-347 a.C.), ele possivelmente já existia na crença grega. Assim o vemos comparado ao mito de Pandora. Parte das histórias contadas já existiam quando os irmãos Grimm e Perrault os relataram em seus livros sobre contos de fadas, contudo é a adaptação do conto que difere os Grimm de Perrault.

Perrault os relata como realmente eram, os Grimm criam o “final feliz”.

Evidências a parte

Embora tudo indique que foram mitos adaptados, ainda é impossível provar que um dos lados está certo, até porque muitos contos foram ignorados e a falta de provas colocam a história como se fosse um caso jurídico. 


O que era o sistema de castas e por que existiu?

Os brâmanes são a mais alta casta na Índia (a casta dos sacerdotes).



O que foi?

O sistema de castas é visível em todas as sociedades antigas do mundo. É tido como um sistema primitivo de organização social, porque primeiro não observava a aptidão natural do ser humano em determinada área e ainda impunha a obrigação de seu serviço desconsiderando o desconforto e a inaptidão para tal.


Por que existiu?

Assim como a escrita cuneiforme existiu, também o sistema de castas estava lá na Suméria. É um sistema primitivo de organização social.
Existiu, porque o homem em sua ignorância achava mais fácil impor determinado costume do que observar os sinais que a natureza dava.



Sociedades em que aparece visivelmente

Na sociedade ariana (povos arianos) aparece bem nitidamente. Contudo todas as civilizações antigas do mundo tem esse sistema que parece ter tido origem com o homo-sapiens-boreal-nostrádico.



Capitalismo: uma nova versão do sistema de castas?

O capitalismo é uma adaptação do sistema de castas em que a casta mais baixa pode ascender socialmente se for organizada, inteligente e ousada.



Socialismo é o caminho para o fim do sistema de castas?

Biologicamente nós somos separados por castas. Então dificilmente uma mulher bonita vai se enamorar por um homem deficiente, e vice-versa; contudo tal hipótese pode acontecer.

Temos que lembrar o socialismo só é possível se todos forem iguais na ordem também biológica! Hitler sabia disso, contudo seu cérebro matemático não era nenhum pouco bom em história e por conta disso o exército nazi seria derrotado pelo exército vermelho na Rússia usando a mesma tática que os russos já haviam usado pra derrotar Napoleão.

O socialismo soviético viria a cair, porque a União Soviética era um estado de um socialismo integralista, ou seja: ia juntando povos de diferentes etnias e não via problemas nessas diferenças bio-sociais.

HG Wells lembra que o máximo de evolução bio-social que podemos alcançar é algo disforme e perturbador visto no artigo The Man of the Year Million.


Politica do cú

Meme recriado por mim a partir de um meme postado em redes sociais, cujo autor é desconhecido.


Conservador é quando você não dá o cú e não admite que existe.

Conservador-liberal é quando você é casado e dá o cú.

Liberal-conservador é quando você não casa e dá o cú de vez em quando.

_______________________________________________

Socialista é quando você não dá o cú e não quer que os outros dêem, ou dá o cú e quer que os outros dêem.

Socialista-liberal é quando você não dá o cú, mas quer que os outros dêem.

Liberal-socialista é quando você dá o cú e estupra os outros.

_______________________________________________

Comunista é quando você dá um tiro no cú de quem te comeu.

Anarquista é quando você acha que no cú dos outros é refresco.

Anarco-capitalista é quando você diz que passa pimenta no seu cú pro trouxa acreditar que isso é bom!

Liberal é quando você cobra pra dar o cú e vende o cú dos outros também.


_______________________________________________


Em resumo:


Capitalismo – você vende o seu cú.

Socialismo – você dá seu cú de graça.

Conservacionismo – você vende seu cú e às vezes dá de graça.

Liberalismo – você vende o seu cú e o de todo mundo por um preço acessível.

Anarquismo – você vende o cú da sua sogra!

Comunista – é quando você dá um tiro no cú de todo mundo, porque quando era pequeno alguém comeu seu cú.


A lenda de Atlântida é uma alegoria de Platão que ninguém entendeu!

Atlântida parece ser uma alegoria criada a partir do declínio da civilização sumeriana.

O Mito do Andrógino e a Alegoria da Caverna são as provas mais claras de que Platão poderia ter criado uma alegoria inicial e depois ter transformado em mito pra relatar o incidente de uma civilização bem rica e desenvolvida que viria a cair por conta da malicia e da corrupção.


O que Platão se referia?

Notamos na alegoria da caverna os traços que distorcem a realidade. Atlântida seria uma alegoria mal interpretada? Ou um conto grego antigo capturado por Platão?

A Ilha seria uma nação, os atlantes uma população antiga e a água que os afogaria seria o resultado da falta de ordem e amor social?


A história fala

Muitas nações com civilizações avançadas foram invadidas por civilizações menos avançadas, porque tinham menor população e porque já estavam deterioradas por dentro por causa da falta de união, amor e ordem.

Os sumérios, por exemplo, foram engolidos pelo grupo semítico liderado pelos acádios e que seriam sucedidos pelos babilônicos, assírios e por fim caldeus. A civilização do vale do Indo e do Danúbio, ambas em seu esplendido florescimento artístico, tecnológico e cultural viria a declinar com a chegada dos arianos.

O mesmo aconteceria com os celtas demolidos pelos romanos, os citas pelos sármatas e os egípcios pelos árabes.


Interpretações a parte

De todas as indagações sobre o modelo de sociedade a ser seguido e da revisão de nós mesmos por nós mesmos, o ser uhmanoh em sua burrice plena e no seu escapismo surreal agora entra na onda da crença new age e prefere acreditar que tudo não passou da influência de extraterrestres na Terra; ao invés de observar seus próprios erros; ou melhor, os erros de seus antepassados ou daqueles que poderiam ter sido seus antepassados. Parece que a religião caminha como a “unitologia” vista na franquia de jogos Dead Space, onde são os alienígenas a serem venerados e não a natureza, o cosmos ou um ser ou força invisível numa loucura plena em busca de um escapismo que só tem fim na morte...

segunda-feira, 27 de março de 2017

Quanto mais poder, menos pudor

O cristianismo ganhou a Europa e o mundo porque pregava a humildade, o humanismo e uma ordem social; coisas que o paganismo em sua totalidade não tinha.

A humildade e o humanismo são características cristãs e vemos essa representação na cultura. O mal passou a ser personificado pelo belo e rico, uma visão filosófica; porque na época de Cristo a Judéia estava sob domínio Romano e os romanos apreciavam a beleza e a riqueza acima do humanismo.

Cristo em si era pobre e os primeiros cristãos mais pobres ainda. Em Atos 17,24 fica evidenciado que "O Deus que criou o mundo e todas as coisas não habita templos".

O paganismo tinha enormes templos erigidos aos deuses e os cristãos tinham medo de perder sua humildade. Não podendo combater o cristianismo que atravessara o Mediterrâneo, o imperador Constantino o legalizou e começou a construção dos templos romanos.

Com a queda do Império Romano pelas mãos dos povos bárbaros (em sua maioria germânicos) os cristãos dos templos deram seu ouro para evitar que os templos fossem destruídos e saqueados.

No Século 16 a reforma protestante e a Caça as Bruxas terminariam com o abuso de poder que a Igreja Católica tinha em mãos. Surgia o protestantismo, o renascimento e o iluminismo.

Hoje a história se repete em versão medieval e do lado dos protestantes: Templos e pastores ricos e seu rebanho pobre.

Lembro também que Hitler perdeu da mesma maneira que Napoleão para os russos.

Quem não conhece o passado desconhece o futuro!


A história se repete infelizmente.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Drogas, sexo e rock and roll é antigo! Do paganismo as baladas de hoje em dia


Deus proteja o paganismo! Ou melhor: o que sobrou dele!

Nossas melhores festas (Carnaval, Páscoa, Festa de São João, Halloween - na Irlanda e Estados Unidos - e Natal) são todas heranças pagãs.

Recordar é saber: que de fato a Igreja Católica com o seu cristianismo colocou ordem no galinheiro que a Europa Medieval era não nos resta dúvidas, mas muita coisa boa foi perdida e só ficou o velho pão e circo romano.

Notamos que antes do advento do cristianismo os europeus pareciam conhecer mais a natureza, mais as ervas (não estou falando da maconha que dizem ser a responsável pela extinção dos citas, povo indo-europeu que habitava as margens do Mar Negro, tou brincando kkkk) e mais das próprias pessoas.


Pão e circo= bebidas e baladas

O deus grego Dionísio, o Baco dos romanos era o pai das bacanais, grandes surubas com bebidas  e jogos que quem já ouviu a música você sabe o que é bacanal? vai entender!


Com o cristianismo as festas se tornaram moderadas, quem não se lembra das quermesses?  Contudo havia a condenação do amor e do sexo e a hipocrisia rolava solta, dá pra citar uma lista bem grande de papas psicopatas! Hoje notamos que as festas pagãs voltaram com tudo por causa da forte influência africana que temos no Brasil, o Carnaval uniu o paganismo europeu ao africano.

Rita Lee explica a diferença na música Amor e Sexo


Beber pra dançar, dançar pra transar

Por que as pessoas bebem? Por que elas dançam? Escapismo, já expliquei isso aqui no blog nesse post. As pessoas saem pra se conhecerem, interagirem, beberem para dançar e dançar pra se divertir seja da forma que for. O ser humano é um animal socialista por natureza, embora a natureza imponha responsabilidade através do capitalismo (e este está 100% ligado ao cristianismo); todos nós somos seres que precisamos nos socializar, que diga Richard Matheson no livro Eu Sou A Lenda.

Falando em bebida alcoólica: nos países nórdicos e na Rússia o número de alcoólatras é gigantesco por causa do isolamento que o frio traz e por causa do próprio frio, a vodka esquenta o corpo.

Ademais todo o homem que bebe é um covarde e por ironia a única maneira de manter sóbrio nesse mundo de porre é bebendo e dançando, pois a Terra é redonda, assim como o tempo é escasso!