segunda-feira, 13 de junho de 2016

Um Alquimista chamado Paulo Coelho e As Mil e Uma Noites

Falando em Mil e Uma Noites... Você sabia que foi um cara chamado Antoine Galland o primeiro escritor a trazer o livro à tona ao ocidente? Créditos da imagem: Wikipédia

Enfim li o tão famoso livro O Alquimista de Paulo Coelho. No segundo capitulo deu vontade de parar de ler, sinceramente; parecia que já tinha visto aquilo; mas a necessidade de tentar entender o sucesso por trás do livro, da forma de narrativa e do tipo de história o título escondia li até o fim!

Parece um conto d’As Mil e Uma Noites moderno!

Havia um burburinho na internet de que o livro é uma adaptação do conto inglês Pedlar of Swaffham e de alguns contos d’As Mil e Uma Noites. E realmente quando terminei o livro concluí que deveria ter comprado um exemplar tosco qualquer d’As Mil e Uma Noites do que O Alquimista! kkkk

Pra quem não sabe, eu até traduzi e adaptei um conto que gostei muito d’As Mil e Uma Noites chamada A História de Hassan de Basra (pelo link você pode ler aqui no blog).


Bem Mil e Uma Noites mesmo

A retórica do livro é muito semelhante ao livro O Pequeno Príncipe de Antoine de Saint-Exupèry, contudo é mais profunda a narrativa. Enquanto o Pequeno Príncipe é um livro que pode ser lido por uma criança e por um adolescente; O Alquimista tende a ser lido por adultos por conta da sua narrativa, densidade e estrutura.

Só que há várias referencias a Deus, parecia que tava lendo As Mil e Uma Noites. Só faltava ele encerrar o capitulo com um “Allah é o senhor de todas as coisas e por esses olhos e essa alma em nome do grande senhor, Allah, eu juro” tão frequente, chato e enojante n’As Mil e Uma Noites.


Se puder: antes de ler O Alquimista leia As Mil e Uma Noites

Faça um favor à humanidade que nem eu. Afinal tudo começa no folclore e acaba nos best-sellers.

Você nem precisa comprar se não quiser, As Mil e Uma Noites é encontrado em versão gratuita em inglês no projeto Gutemberg e através de sites de leitura online.

Recomendo ler a versão de Sir Richard Francis Burton que é sensacional; aliás, ele foi um sensacional desbravador, tradutor, pesquisador e escritor britânico. Se eu pudesse escolher chamar Paulo Coelho ou Sir Richard Francis Burton de alquimista, sem dúvida escolheria Sir Richard Francis Burton que inclusive tem uma história hiper-ultra-super parecida com o personagem protagonista do livro de Paulo Coelho.


O livro do Paulo Coelho não é ruim não, é bom sim; muito bom e inclusive ensina muita coisa, inclusive que devemos ler um exemplar de As Mil e Uma Noites antes de acharmos um livro famoso uma grande obra literária!