quinta-feira, 7 de agosto de 2014

A Teoria dos Deuses Astronautas (TDA)


Índice

1. Sobre a teoria proposta no livro
2. O mistério das pirâmides de Gizé, fato
3. Povos e monumentos que mostram influência alienígena
4. Mais pistas
5. Semelhança com o culto nazista
6. Eram, realmente, os deuses astronautas?
7. Influência
8. Crítica
9. TDA versus Antropologia
10. Fontes de pesquisa


Você já deve ter ouvido falar do mistério que cerca as enormes pirâmides do planalto de Gizé no Egito? Que homens não conseguiriam fazer um trabalho daquela magnitude, e que os antigos egípcios poderiam ter tido uma ajudinha vinda do espaço cósmico. Estes seres que ajudaram na construção das pirâmides eram, na verdade, alienígenas que vieram na antiguidade e que, possivelmente, ajudaram o ser humano em suas construções.


Ou do mistério que cerca a Stonehenge na Inglaterra? Da semelhança entre as pirâmides dos ameríndios (maias, astecas e incas) e as dos egípcios? E de como os habitantes da Ilha de Páscoa construíram os moais (gigantescas estátuas que existem na ilha, e que foram feitas com um material muito frágil, a lava vulcânica petrificada, sem falar que o terreno da ilha é extremamente acidentado e pedregoso), sendo que não dispunham de tecnologia para erguer as enormes estátuas que lá existem?

Essa teoria de que poderíamos ter tido a visita de seres do espaço na antiguidade, foi proposta em 1968 no livro Eram os Deuses Astronautas? (título original: Erinnerungen die Zukunft um: der Vergangenheit Rätsel Ungelöste) do escritor suíço Erich Von Däniken.


Sobre a teoria proposta no livro

Von Däniken começa o livro (Eram os Deuses Astronautas?) trazendo à tona a famosa lei da relatividade e que seria possível, para a ciência do futuro, uma viagem espacial para se conhecer novos mundos.  Escreve que existem bactérias que sobrevivem à climas e lugares inóspitos e que, com certeza, deve haver vida em outros lugares do espaço.

No documentário Ancient Aliens  do canal History Channel, Von Däniken diz que teve a idéia quando era muito jovem, quando, ainda, estudava num colégio católico. Lá ele fazia traduções da Bíblia, traduzia do grego para o latim e do latim para o alemão, foi aí que ele pegou um texto do Êxodo, que diz que antes do Senhor (Deus) descer à montanha sagrada, Moisés foi instruído a construir um portal ao redor da montanha, senão os judeus seriam prejudicados.
 
Foi aí a base de tudo, ele começou a ler páginas e mais páginas de livros sobre mitologia, e concluiu que sempre é a mesma história: um deus desce do céu para os humanos. E pensou: por que não? Poderiam os antigos ter sido influenciados por extraterrestres? E os antigos achavam que eles eram deuses, e não astronautas, pois os antigos eram, ainda, muito primitivos para acreditar que aquilo era um astronauta. 

A concepção de deuses então surgiu: os antigos chamavam de deuses e acreditavam neles, pois eram astronautas que visitavam à terra primeva. Isto explicaria a crença do homem em deuses e num único deus, como preencheria as dúvidas em relação à alguns trechos da Bíblia. 


Obs.: O homem primitivo acreditava em deuses, era politeísta.

Von Däniken então se perguntou: se isto for verdade, como irei provar? Então deu pistas em seu primeiro livro do gênero: Eram os Deuses Astronautas?

Assim propõe uma das evidências da teoria:
Em muitas histórias de deuses em volta do mundo, sempre há um deus que desce do céu até os humanos. E os seres humanos por serem muito primitivos na antigüidade, acreditavam que eram deuses, mas na verdade eram astronautas alienígenas.

Muita coisa que Von Däniken diz faz sentido, mas outras coisas desafiam leis importantes da ciência como a da evolução. Um exemplo disso é, num trecho da Bíblia, encontrado no capítulo 6 de Gênesis, versículos 1 a 2: 
“Quando o ser humano começou a multiplicar-se sobre o solo da terra e gerou, assim, filhas; os filhos de Deus viram que as filhas dos homens eram bonitas e escolheram as que lhe agradassem como mulheres para eles.”
O escritor, então, propõe que os astronautas em sua visita a terra copularam com algumas mulheres desse mundo. 


Cita o sábio Enoch que foi levado por astronautas:

“Como Enoch andava com Deus, ele sumiu, pois deus o havia levado.”
Gênesis 5, 4

Dos filhos de mulheres desse mundo com extraterrestres (possivelmente, humanos de outro planeta) na Bíblia:

“Havia, naquele tempo, gigantes na terra; pois, quando os filhos de Deus se uniram às filhas dos homens e estas lhes deram filhos, nasceram aqueles heróis, que são tão famosos na Antigüidade.”
Gênesis 6, 4


Por que o termo filhos de Deus que se uniram com filhas dos homens? Não somos todos filhos de Deus? É mas isso aparece na Bíblia!

Fala do porque que crianças anormais eram eliminadas na antiguidade. Era os astronautas que mandavam os homens as eliminar, pois era necessária a morte de crianças deficientes para a sociedade primitiva se desenvolver direito.

Mostra um trecho da Bíblia na qual deus proíbe Moisés de ver o rosto dele:

“E disse: não poderás ver a minha face, pois homem nenhum pode me ver e sobreviver”.
Êxodo 33, 20


Mas por que deus diria uma coisa dessas? Seria, realmente, aquele que se manifesta à Moisés, Deus? Ou seria uma pessoa vinda de um mundo distante que estaria ajudando os seres humanos? Von Däniken coloca a seguinte suposição: e se eram astronautas vindos de outro mundo, o que vieram fazer aqui, na antiguidade? Talvez estivessem procurando mundos habitáveis, como hoje a NASA e a ESA fazem mandando sondas descobridoras de exoplanetas (planetas além da órbita do sistema solar); ou quem sabe a nave deles tenha enguiçado, mas provavelmente eles se encantaram com a sociedade humana e decidiram estudá-la mais profundamente.


Pode parecer bobagem, mas muito do que Von Däniken diz faz sentido. Ele exagera em alguns pontos, mas só estes textos que aparecem na Bíblia já põem em dúvida se, realmente, o Deus que fala com Moisés e que manda criar um portal, seria na verdade um deus, ou seria um mero estrangeiro que se propôs a ajudar o povo judeu, enquanto os demais estavam fazendo outras coisas mais interessantes. Mas se isso fosse verdade? Se isso fosse verdade, Deus da forma que conhecemos não existe, aliás, não existiria Deus.
Então o que criou o ser humano?


Por termos a noção que todos os seres possuem um pai e uma mãe, os antigos também acreditavam nisso. Fala da história de como surgiu os deuses e que os deuses criaram os homens. O deus que se acredita hoje é único, onisciente e unipotente. Esse mesmo deus criou com poderes mágicos tudo o que conhecemos. 

Mas séculos de tradições cristãs não conseguiram esconder os rastros na areia do tempo, como os deuses gregos que surgiram d’uma espécie de explosão ao qual chamavam de “caos”. Os primeiros deuses a serem venerados eram os antigos deuses mesopotâmicos, propriamente isso começou com os sumérios que foram a civilização mais antiga do mundo, e detalhe: a maior parte dos mitos sumérios, sem falar da língua que eles falavam, permanece um mistério.

A língua suméria é uma língua isolada, o que significa que não está diretamente relacionada a nenhuma outra língua conhecida, apesar das várias tentativas equivocadas de provar ligações com outros idiomas. A língua suméria é aglutinante, ou seja, os morfemas (as menores unidades com sentido da língua) se justapõem para formar palavras.”

Wikipédia, artigo: Suméria>língua e escrita

Os sumérios diziam que a origem de tudo estava no mar: Apsu e Tiamat são as primeiras deidades do panteão sumério, e eram a personificação do mar. Por incrível que pareça, hoje, a ciência diz que a vida surgiu no mar. Coincidência? Bom você é quem decide!

Mas como eles sabiam disso? Possivelmente pode ser uma coincidência, mas no pensamento dos adeptos de Von Däniken, uma prova de que alguém nos contou no passado como a vida aqui na terra surgiu.

Von Däniken cita como possíveis pistas (mas no livro afirma como fato): o Mapa de Piri Reis; o grande Ídolo de Tiahuanaco; O Grande Deus Marte, descoberto por Henri Lhote, em Tassili (Saara); A Dama Branca de Brandberg (África do Sul)...

As linhas de Nazca, Von Däniken, diz que são pistas de pouso, onde os “deuses” pousavam na antiguidade e foi por isso que elas foram feitas. Ele diz isso, porque as linhas de Nazca são cercadas por mistérios. Na verdade, pra qualquer um que vai até o Peru, ver essas linhas geométricas, se surpreende ao saber que somente de helicóptero ou avião para vê-las como realmente são; pois na terra é impossível, e, além do mais, não existe nenhuma cadeia de montanhas ou colina para se observar com precisão o que são e como são.


Mesmo os mais renomados historiadores e arqueólogos não se atrevem a explicar como elas foram feitas, pois as pirâmides de Gizé até podemos acreditar que foram feitas com ajuda de inúmeras rampas de madeira. Como os incas traçaram aquelas linhas, aí é que está! Além de serem vistas somente do alto, algumas aparentam serem pistas de pouso de avião; já outras representam animais como: um macaco, um beija-flor... 

O mistério, ainda, continua e a arte dos incas é um tanto peculiar, quanto duvidosa.

Ele também questiona do porquê que os deuses egípcios tinham corpo humano e cabeça de animais, e diz que é umas das provas de visita extraterrestre na antiguidade. Sendo os ditos deuses astronautas, que por serem de espécies diversas, foram representados, posteriormente, com cabeças de animais.


O mistério das pirâmides de Gizé, Fato


As pirâmides de Gizé, no Egito, são construções magníficas, tanto pelo seu tamanho, tanto por sua geometria. Embora a grande pirâmide sendo uma construção de dimensões gigantescas; se encontra erros mínimos nos seus cálculos matemáticos; pois sua base é um quadrado (229 m cada lado) quase perfeito, o maior erro entre o comprimento de cada lado não passa de 0,1%, algo em torno de 2 cm, o que é incrivelmente pequeno dada a época em que foram construídas sem auxílio de máquinas modernas.

Os egípcios já conheciam o número pi e o usavam muito bem, um exemplo disso, é que se você for calcular o perímetro da pirâmide e dividi-lo por duas vezes a sua altura, chegará ao número PI (3,14159...) até o décimo quinto dígito. Segundo matemáticos, as chances disso ocorrer por mera coincidência são quase nulas. E o mais engraçado disso tudo é que até o século 6 d.C., o pi havia sido calculado só até o quarto dígito.

Os lados da grande pirâmide são orientados quase exatamente para os pontos cardeais, um lado corresponde o norte, o outro o sul, o outro o oeste e o outro o leste. E como eu havia dito, eles fizeram tudo isso sem aparelhos da modernidade como um bússola, por exemplo. Os egípcios fizeram tudo tão certinho, que os erros que existem são miníssimos, mas então por que as três pirâmides não estão perfeitamente alinhadas? 


A possível explicação do porquê das pirâmides estarem desaninhadas, sabendo que os egípcios não iriam cometer tal erro; veio quando o engenheiro egípcio Robert Bauval, estava com a família e junto de amigos, fazendo um churrasco à noite, e observando as estrelas, num deserto da Arábia Saudita, pois Bauval era astrônomo amador. 

Então naquela noite enquanto estavam sentados em volta d’uma fogueira, um amigo de Bauval, que assim como ele era engenheiro e um fascinado pelas estrelas, observou que a as três estrelas do cinturão de Órion não são perfeitamente alinhadas e não formam uma diagonal reta. 


Bauval a tempo vinha pensando do porquê das pirâmides serem desalinhadas, sabendo que os egípcios eram exímios matemáticos e engenheiros. Foi aí que o círculo fechou. Naquela mesma noite ele foi até seu computador que continha um programa de computador, usado na astronomia, chamado:  

Skyglobe, e usou para calcular o alinhamento das três estrelas, de como era o céu na época dos egípcios antigos, e ver outras coisas.

Daí fez a descoberta: as três pirâmides não são perfeitamente alinhadas, pois representam as três estrelas do Cinturão de Órion (conhecidas aqui no Brasil como: As Três Marias). Também usou o programa para ir mais longe e descobriu que Gizé está a oeste do Nilo, da mesma forma que Órion está a "oeste" da Via-láctea, e na mesma posição em que Gizé está para o Nilo.


Bauval publicou o livro The Orion Mystery (O Mistério de Órion) em parceria com Adrian Gilbert, na qual mostra sua teoria e demais coisas.


Num documentário, que vi anos atrás, do Discovery Channel, sobre as pirâmides, diz que, possivelmente, os egípcios acreditavam que Osíris, o deus dos mortos egípcio, morava na constelação de Órion e que na grande pirâmide Quéops (já mencionada acima) existe uma pequena abertura que sai do lugar onde havia o túmulo do faraó para fora, e essa pequena abertura é perfeitamente alinhada à constelação de Órion. 



O faraó, no antigo Egito, era tido como um mensageiro dos deuses, um elo de ligação entre os homens e deuses. Havia no Egito antigo também os sacerdotes, guardiões dos conhecimentos divinos e que recebiam ordens dos deuses. Von Däniken instiga que quando os astronautas estiveram na terra, orientaram certos indivíduos à passar ordens as pessoas para determinados fins; e também para estes, ensinados pelos deuses à ler e a escrever, guardaram na escrita o conhecimento que aprenderam com os deuses orientando a civilização a progredir.


Fato ou não, a Igreja Católica é um exemplo de que foi inspirada nas tradições do oriente, em que sacerdotes guardavam as palavras dos deuses, e eram os únicos portadores do saber, como ocorreu na Igreja Católica da Idade Média. O sumo-sacerdote foi transformado em papa que estava sempre à disposição do rei (faraó).


Para Von Däniken, os antigos egípcios mumificavam seus faraós, porque viram os deuses, astronautas na verdade, saírem de câmaras de congelamento. Os deuses, então, entravam em câmaras de congelamento, que tinham certa semelhança com sarcófagos, e ali eram congelados para grandes viagens espaciais, pois só a criogenia para conservar o corpo durante uma viagem de 100 mil anos por exemplo.


Os antigos egípcios souberam disso e quando os astronautas foram embora, começaram a mumificar seus mortos, pois não tinham máquinas que produzissem uma temperatura muito baixa para conservar o corpo, além de viver num deserto escaldante, então eles começaram a mumificar seus corpos.

Os egípcios não mumificavam seus mortos para uma vida além túmulo e sim para uma vida de retorno, ressurreição. 

Pois segundo o autor, as câmaras mortuárias egípcias (onde se localizam os túmulos dos faraós), são cheias de armadilhas, e essas têm a finalidade de proteger os corpos, até os “deuses” lhe trazerem de volta do sono eterno. Assim os ingênuos egípcios achavam que os “deuses” os trariam de volta à vida.



“... apreenderam os egípcios a possibilidade da mumificação, através da observação da natureza? Se esse fosse o caso, então deveria provavelmente existir um culto das borboletas...”

Trecho do livro: Eram os Deuses Astronautas?

De Erick Von däniken



O curioso disso tudo é que existem múmias não só nas terras do antigo Egito, mas os incas (outro povo misterioso em seus costumes e em seus deuses. Não nos esqueçamos das linhas de Nazca no Peru, justamente onde viviam os incas) também mumificavam seus mortos.


Von Däniken fala de Viracocha, um antigo deus inca, criador do mundo. Dizem que antes do homem existir, ele criou gigantes a partir da pedra, e quando esses o desagradaram os mergulhou numa grande e terrível maré. Depois disso criou o homem a partir do barro e lhe inspirou vida, e havia lhe ensinado diversas coisas como: arte, língua, e tradições; em seguida voou com alguns dos homens mortais para outros continentes os deixando lá para habitar aquelas regiões. 



Mais tarde viajou com dois auxiliares para monitorar os seres humanos que criara, para garantir se suas ordens seriam seguidas e se trariam resultados. Disfarçado de velho andou Andes acima, e num lugar e outro foi mal recebido; sendo que em Cacha fora tão mal recebido que indignado incendiou um rochedo e as chamas começaram a incendiar a terra. 


O povo com medo, então, teria pedido seu perdão, e com um único gesto de mão apagou as chamas. Viracocha continuou viagem distribuindo, em diversos lugares, conselhos e conhecimentos. Por isso muitos templos lhe foram consagrados. Por fim sumiu na província costeira de Manta, na qual disse que um dia iria voltar, e logo em seguida partiu andando sobre a água.



No Brasil se encontra o relato de Sumé, que teria visitado os índios há muito tempo, bem antes dos portugueses chegarem por aqui. Os jesuítas identificaram por engano [na verdade, converteram o mito – como aconteceu com a festa pagã (não cristã) européia transformada em dia de São João, como o personagem celta: São Brandão... – para a tradição católica a fim de catequizar os índios bem mais rapidamente, acabando assim com o último fiapo da cultura indígena] com São Tomé, talvez, pela própria grafia da palavra ou para acelerar o processo de catequização dos índios.


Os relatos recolhidos, por jesuítas, tratam de como o apóstolo de Cristo teria vindo pregar o evangelho em terra neolusitana[1] (território novo de Portugal), mas hoje historiadores e antropólogos sabem que em todos os lugares da América do Sul há uma variante do suposto estrangeiro, de pele branca, que teria vindo há muito tempo e teria ensinado os indígenas a se comportar, daí a semelhança com Viracocha e Quetzalcóatl. 


Assim como o deus Viracocha, Sumé ensinou os índios a se comportar; os ensinando a monogamia, proibindo a poligamia; que o canibalismo era uma coisa feia, e que deveriam tratar seu semelhante com mais respeito; os ensinou o cultivo do milho, da mandioca e do feijão. Diziam os antigos indígenas que ele tinha o poder de fazer chover e de acalmar tempestades, e que tinha poderes inimagináveis a qualquer homem. Isso me lembra o caso do estranho poder que governante da Ilha de Páscoa possuía, o mana. 


Usando o mana ele fazia objetos flutuarem só com a força do pensamento e que os moais foram trazidos por ele de uma terra que naufragou, há muito tempo, no mar. Mas, por fim, de tanto meter o bedelho onde não era chamado, Pai Sumé (outro nome para o estranho homem de pele branca que quis ensinar os índios) foi expulso pelos índios à flechadas, mas Sumé todo poderoso, fez estas se voltarem para seus atiradores, matando-os. Desapareceu indo em direção às índias, andando sobre as águas, sumindo ao longe.


Seria Sumé e Viracocha Jesus Cristo?


Há sim uma certa semelhança, e, talvez um dos motivos disso foi por causa do relato ilustrado e confuso que os jesuítas fizeram de Sumé. Mas mesmo que os antropólogos acreditassem no “messias”, isso seria impossível, pois a aparição de Sumé e Viracocha data de antes da Era Cristã, antes de Cristo.

Mas, talvez, estaria aí outro mistério, pois dizem alguns historiadores que a história de Jesus Cristo é uma compilação de mitos egípcios e talvez um desses antigos mitos relatem um mesmo ser, um homem velho de barba e pele branca, que tentou ensinar aos humanos a serem mais civilizados. Muitos, ainda, especulam que, talvez, esse homem que visitou os índios seria algum navegador fenício.


Existem, no Brasil, petróglifos (desenhos, pinturas e relevos feitos na pré-história nas paredes de cavernas) que são atribuídos a Sumé. Essas pedras apresentam escritos e símbolos, muitas vezes, misteriosos; e são encontrados no Brasil e em partes da América do Sul e Central, há também um certo traço de similaridade nessas culturas.





[1] Palavra também criada por mim: Neo= novo (a); Lusitano= referente ou que é de portugal. Terra neolusitana= território novo adquirido por Portugal.



O engraçado disso tudo é que, verdadeiramente, as grandes civilizações antigas parecem que eram mais evoluídas que a sociedade de hoje. Os sumérios criadores da escrita e da misteriosa astrologia. Os egípcios criaram as pirâmides de uma forma que hoje não sabemos como. Incas, maias e astecas tinham cidades de uma infraestrutura tão magnífica que o restou ainda nos impressiona. Ninguém sabe ao certo qual a finalidade da Stonehenge, e como o pessoal da Ilha de Páscoa levava aquelas pedras até o outro lado da ilha.


Povos e monumentos que mostram influência alienígena 

A Ilha de Páscoa
Também chamada de Rapa Nui, é a ilha dos misteriosos moais, gigantescas esculturas de pedra feita de material extremamente frágil: a lava vulcânica petrificada. Há a lenda que diz: há muito tempo vieram de terra fadada a afundar, os antigos habitantes. Seu governante tinha um poder tão misterioso e particular que usou este, mesmo, para trazer os enormes blocos (moais) e os colocar onde estão.

Maias
Civilização que teve seu fim (ou sumiu?) antes dos exploradores espanhóis chegarem em solo ameríndio. Eram excepcionais astrônomos e suas cidades eram modernas e desenvolvidas. Se você pegar um bom livro de história vai ver que os autores até se confundem e alguns ocultam fatos sobre a história desse povo misterioso.

Stonehenge
É um monumento de pedra encontrado na inglaterra. No início associaram aos druidas. A surpresa veio quando se descobriu através do carbono-14, que o povo que a construiu viveu na idade do bronze, e que ela acompanha o ciclo das estações e segue as constelações do céu.

Astecas
Povo que vivia na américa e que foi quase extinto pelos espanhóis. Os astecas tinham uma supertição bem simples: matavam pessoas para sustentar o sol na terra, pois acreditavam no Deus Sol, e achavam que este exigia sacrifícios humanos, pois senão apagaria a fonte da vida, o sol. O curioso é que os egípcios veneravam Rá, o Deus sol e posteriormente veio Aton que deu origem ao moneteísmo depois da reforma de Aquenáton.

Incas
Tinham uma cultura única. Quem nunca ouvir falar nas ruínas de Machu Pichu, no Peru? Nas linhas de Nazca? E de como é misteriosa essa cultura que tinha arte peculiar, mitos estranhos e ainda mumificavam seus mortos. Alguma ligação com astecas, maias e egípcios? Bom você decide!

Egípcios
Civilização que atingiu seu auge na antigüidade e veio a falir milênios depois. Há muitos mistérios que rondam o passado dos egípcios, entre esses: a construção das pirâmides, não só as do planalto de Gizé, mas em todo o território do alto e baixo egito existem pirâmides de tamanho menor ou quase igual àquelas que voce está acostumado a ver.


Mais pistas


A visão de Ezequiel

No primeiro capítulo do livro de Ezequiel, na Bíblia, o, dito, profeta descreve uma espécie de ser que é ao mesmo tempo vários animais, tem asas e rodas! Para Von Däniken se trata de uma espécie de veículo aéreo, parecido com um avião ou um helicóptero, que Ezequiel viu.

Esses quatro seres tinham uma espécie de teto sobre suas cabeças e eles falaram com Ezequiel dizendo:

“Filho do homem, alevante-se, pois quero falar contigo.”
Ezequiel 2,1
Esse ser diz ser Deus e usa o termo: Filho do homem. Você se lembra sobre os filhos de Deus que se uniram com filhas dos homens, que aparece no Gênesis?

A visão de Ezequiel seria uma prova clara de que os antigos achavam que os extraterrestres eram deuses.

Bom, se, realmente, você ler o livro de Ezequiel vai ver que muita coisa se encaixa, como: o profeta diz ter sido levado pelo Senhor para um determinado lugar, levado por uma força desconhecida; um ser de luz iluminado como fogo vai até ele e lhe diz o que fazer...

Fala que Sodoma e Gomorra sofreram na antigüidade uma explosão nuclear. Do mito do Mahabharata, que descreva naves voadoras (vimanas) e relatos de explosões nucleares na índia antiga. Cita mais sobre os mitos misteriosos dos incas:

“Os povos pré-incaicos, em suas lendas religiosas dizem que as estrelas são habitadas e que os "deuses" desciam até eles vindos da constelação das Plêiades. Textos em caracteres cuneiformes sumerianos, assírios, babilônios e egípcios oferecem a mesma imagem: "deuses" vinham de estrelas e para elas voltavam, andavam em naves de fogo ou barcos no céu, possuíam armas misteriosas e prometiam a alguns poucos homens a imortalidade.”
Trecho de Eram os Deuses Astronautas?

O “Abre-te de Sésamo” que aparece na história de Ali Baba, cujo este falando essas palavras abre uma porta que dá entrada à uma caverna. Isto parece muito familiar à tecnologia do comando por voz, em que determinados objetos eletrônicos são ativados ou funcionam pela voz. De fato n’As Mil e Uma Noites se encontram muitas histórias que são ficções cientificas e não meras histórias de fantasia, como: O Cavalo de Ébano, Abdala Terra e Abdala Mar, A Cidade de Cobre, entre outros.



Semelhança com o culto nazista

Os nazistas, fomentados pela utopia de Hitler, acreditavam que eram descendentes dos árias e que estes eram extraterrestres vindos da estrela Aldebaran. Os nazistas também eram fascinados por ocultismo, paganismo e paranormalidade e acreditavam que os árias eram um povo mais do que divino, eles eram seres humanos vindos de outros planetas. Erick Von Däniken é suíço, país que teve influência nazista, supostamente pode ter sido influenciado pelo misticismo nazista que surgira décadas antes da escrita de seu livro.


Eram, realmente, os deuses astronautas?

A história, ainda, é uma matéria imprecisa, por diversos motivos. Leis como da evolução de Darwin, genética de Mendel, a psicanálise de Freud... ajudam a entender um pouco da misteriosa mente humana. Por que sabemos tanto sobre os dinossauros e tão pouco sobre o homem?

Será que os deuses do passado seriam astronautas? Ou apenas mitos criados pela mente do homem primitivo que nada conhecia e que achava mais fácil acreditar que um deus benevolente iria lhe ajudar a ter uma boa colheita?
Hoje quando vejo procissões de milhares de cristãos no mundo e principalmente no Brasil, me lembro da teoria dos antropólogos sobre como o homem tem medo de estar sozinho e por recorrer a um deus para curar sua enfermidade.

O dia de hoje é o retrato do ontem e do amanhã.

Muitas vezes não acreditamos que somos capazes de criar, saber e pela própria doença nos curar. Há gente que até hoje benze tempestades com a esperança de apaziguá-las, lê a história “a tempestade acalmada” (dos evengelhos de Matheus, Lucas, Marcos... Na Bíblia) em dias de tempestade, procurando tranqüilizar as forças do tempo.

Como o tempo e vida são cruéis para com o ser humano.

Eles levam, trazem e nos ferem. Muitas vezes o que nos sobra é pó. Mas acreditar em algo é humano! É sinal que ainda não somos, totalmente, evoluídos, mas também não somos seres sem sentimentos.
Há mistérios na história da humanidade, porque faltam provas e relatos condizentes.


Embora o livro surpreenda, é típico de Von Däniken fazer ligações equivocadas e, de uma certa forma, inteligentes. É o mesmo que dizer sobre o mito de Noé: digamos que há muito tempo, num planeta longínquo, vivia seres humanos como nós. Daí chegou um grupo de aliens dizendo que o planeta iria ser destruído por causa de um asteróide, daí os alienígenas mandam esse homem construir uma arca.

Ele constrói uma arca de ferro, pois os aliens lhe dão o material. O planeta é destruído e a arca é lançada ao espaço sideral. Essa arca então é trazida pelos aliens até a terra, daí tá explicado cientificamente o mito da bíblia, que, como se sabe, veio da cosmogonia sumeriana, bem antes de Moisés e do próprio Gênesis.

Assim todos nós somos na verdade descendentes desse Noé futurista, assim como toda a vida na terra, todos os animais que aqui vivem foram trazidos numa arca vinda de outro planeta que atravessou o espaço sideral em 40 dias e 40 noites, ou na verdade: 40 mil anos. E provavelmente, isso explicaria o elo perdido, sendo que nós humanos não seriamos descendentes dos macacos, e sim desse Noé futurista ou dos ditos filhos de Deus da qual aparece na Bíblia, que Von Däniken diz serem seres humanos que copularam com fêmeas daqui ou as inseminaram para criar uma nova raça. E olha que essa historinha comparativa foi inventada por mim, não consta nos livros de Von Däniken e nem de seus adeptos.


O termo os filhos de Deus, é descrito no Livro de Enoch como representando os anjos caídos que copularam com Filhas dos Homens, ou seja, os anjos caídos eram os Filhos de Deus descritos na Bíblia, mas tem um detalhe: o mito é mais medieval do que antigo, pois na idade média os inquisidores acreditavam (criaram o mito) que as bruxas eram as mulheres que copulavam com demônios e em troca do delicioso sexo, os anjos caídos lhe davam seus poderes mágicos. Deus desprezou a união dos anjos das trevas com as mulheres e assim levou o dilúvio. 


Porém o início do mito dos anjos tem origem no mito dos Annunakis da mitologia mesopotâmica, existe até um livro chamado de 12º Planeta escrito pelo historiador Zecharia Sitchin, que é um defensor da Teoria dos Deuses Astronautas, que fala que esses deuses Annunakis são na verdade astronautas que nos visitaram no passado vindos do planeta Nibiru. Levando em consideração o avanço sumério nas ciências e a estranheza de sua língua, essa teoria espanta e reforça a teoria de Erich Von Däniken.


Fica claro que Von Däniken converte mitos antigos para ficção cientifica, e, também, associa por causa da ilusão visual e semelhante à suas teorias.
Mas convém observar que o termo: Filho do Homem aparece no livro de Ezequiel, datando de depois do, dito, dilúvio, contudo: não somos todos filhos de Deus? Para que dizer quer os anjos são filhos de Deus e nós filhos dos homens? Von Däniken diz que parte das histórias das mitologias foram mal interpretadas, e sem dúvida isso corresponde a realidade.


Contudo acreditar que civilizações antigas e avançadas tiveram influência extraterrena é totalmente equivocado e fora da lógica. A maior prova de que a civilização suméria não surgira de supostos astronautas está na escrita dessa civilização, sendo o sistema cuneiforme algo extremamente primitivo e confuso de decorar. Se houvesse uma suposta influência de seres do espaço que vieram em tempos antigos, não só o sistema de escrita sumério seria similar ao latino, e supostamente seria mais avançado, bem como teríamos descoberto restos de supostas naves espaciais.

Aí surgiu a crença entre as pessoas nos Estados Unidos dos anos 50, sobre a suposta queda de um ÓVNI numa determinada região desse país. A tal área da queda deste foi chamada de Área 51. Deste então ufólogos acreditam que o governo americano, bem como outros, escondem destroços de ÓVNIs e supostos materiais que não pertencem à esse mundo, chamou-se essa idéia de Teoria da Conspiração.


Porém com o poder que a mídia tem em descobrir polêmicas, como casos de corrupção e casos que envolvam quebra de sigilo, bem como fez a revista News of the World e o site Wikiliks, já teríamos descoberto a verdade escondida pelos governos do mundo.


Outras civilizações que tiveram, para Von Däniken e seus adeptos, influência do espaço foram a egípcia e maia, estas duas também apresentam sistema de escrita primitivo. Acreditar que criamos determinadas coisas porque seres do espaço nos ajudaram é não acreditar na capacidade humana de criar. É o mesmo que dizer que o criador do carro teve ajuda de um alienígena para criá-lo ou que alguém criou determinada coisa por que herdou a inteligência de um ancestral alienígena, como muitos acreditam.


O melhor sistema de escrita criado até hoje, sem dúvida, é o fenício. Os fenícios inventaram o alfabeto, e tempos depois os gregos e romanos os copiaram e aperfeiçoaram, pois mesmo sendo um excelente sistema de escrita os símbolos eram rudimentares e não havia vogais no sistema fenício (o melhor alfabeto hoje é o romano). Da mesma forma os números árabes são usados por muitos, e os árabes não tiveram ajuda espacial ou divina para criá-lo.


Von Däniken ignora a capacidade do ser humano de criar e aperfeiçoar coisas, dizendo que deve ter havido uma influência para acontecer evolução e determinados objetos do mundo antigo são tidos como não feitos por mãos humanas.


Ignorar a lei de evolução é ignorar a si mesmo, pois mesmo que houvesse esse contato e que esses astronautas criaram o homem, de algum lugar eles surgiram! Não se pode negar o fato de que tudo no mundo evolui.
Influência

James Cameron usa a teoria do congelamento para viagem espacial nos filmes: Alien e Avatar, pois só congelando o corpo humano para uma viagem espacial. 

No cinema a teoria de Von Däniken aparece em dois filmes de grande sucesso: Stargate de Roland Emmerich, roteiro de Roland Emmerich e Dean Devlin; e Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal, direção de Stephen Spielberg, e história de George Lucas e Jeff Nathanson.

Na série de ficção cientifica russa: O Universo Noon (o Star Wars dos russos, só que mais criativo e com menos Wars, guerras) dos irmãos Strugatsky.



TDA versus Antropologia

A teoria dos Deuses Astronautas é rejeitada pelas sociedades cientificas, porque não há prova alguma de que astronautas extraterrestres vieram na antigüidade. Nunca foi achado nenhum equipamento moderno e curioso o suficiente para afirmar: não, definitivamente, isso não foi feito pelas mãos dos homens antigos

As lendas mitológicas tidas por Von Däniken como sendo possíveis de terem acontecido, como a do dilúvio e da criação dos homens pelos deuses sendo que ambas aparecem em quase todas as culturas do mundo, para a ciência só ocorreram na imaginação do povo antigo, crê-se que inundamentos de rios ocasionados por tempestades ocorridas na antiguidade tenham afetado psicologicamente o homem primitivo, daí a idéia de um dilúvio, pois não existem provas geológicas sobre tal evento.

A ciência trabalha e próspera com provas, pois se não pode provar, ciência não será e aquilo que você dizer nada vai mudar.

A teoria de Von Däniken surgiu com o próprio autor, nenhum erudito ou cientista antes chegou a indagar tal hipótese, Von Däniken não tem formação acadêmica e sua teoria é de antropologia especulativa. Possivelmente o autor por não ter conhecimento sobre antropologia, ficou convencido de que os deuses antigos eram astronautas. Antes do livro ser publicado já havia a especulação da existência de OVNIs e de vida inteligente que nos observava. Fatores como a criação da bomba atômica e a criação do plano espacial russo e da NASA vieram a desencadear uma ciência especulativa que se chamaria posteriormente de ufologia.


Para acadêmicos a origem da ufologia surgiu com indagações da ciência, com novas descobertas cientificas e com o aclamado e imortalizado livro A Guerra dos Mundos, do escritor inglês H.G. Wells, que conta que havia vida em marte. Porém antes de Wells já se especulava a existência de alienígenas no espaço a fora.


Para a antropologia tudo que Von Däniken faz é uma interpretação errônea e de mau gosto. Na época em que o primeiro livro foi publicado (Eram os Deuses Astronautas?) causou polêmica e mudou a visão de muitos, porém hoje com avanços mais significativos na ciência parte das pessoas desconhece e não tem curiosidade alguma em saber isso. Porém para outros a TDA vem suprir a falta de conhecimento sobre aspectos da história humana, servindo como uma boa cola para colar nosso quebra-cabeças histórico.


É bem possível que a teoria de Von Däniken seja verdade, porém é mais improvável do que possível, e pode ser tida com uma espécie de folclore moderno que usa histórias de ficção cientifica para se explicar determinadas coisas. Para muitos Von Däniken exagera na sua interpretação sobre textos mitológicos e objetos antigos, como alguns listados abaixo.


Contudo se essa teoria for verdadeira as maiores provas de uma influência extraterrena antiga se encontra na crença em deuses, na Bíblia e em alguns objetos, porém não em todos. Para poder quebrar com paradigmas comuns, e com a própria TDA, a ciência vai ter que estudar a história arqueológica e geológica de Marte e criar veículos espaciais não movidos a energia nuclear, mas com outro tipo de energia nuclear mais limpa, precisa, menos perigosa e mais rápida, pois uma das alegações da TDA é que as pirâmides no Egito representam foguetes espaciais, bem como a representação no túmulo do governante maia Pakal encontrada em Palenque, no México e que é, segundo adeptos da teoria, a representação de Pakal, que era um astronauta, como piloto de um foguete.


Para endossar a teoria, os ufólogos acreditam que a ciência e alguns governos do mundo, como o dos Estados Unidos, ocultam fatos sobre a história da espécie humana, bem como os relatos de OVNIs. O livro A História Secreta da Raça Humana (publicado inicialmente como: Arqueologia Proibida) de Michael Cremo e Richard Thompson dá mais força a TDA, dizendo que os acadêmicos em ciências humanas rejeitam todo objeto arqueológico que não se adéqua à teoria de evolução, e mostram provas arqueológicas que mostram que os especialistas em história mais ocultam fatos do que divulgam.




Crítica

De certa forma a teoria é mais improvável do que possível. Primeiro porque muitas das ditas provas ou pistas que o autor cita, são da mesma época em que povos como gregos antigos, por exemplo, viveram, e se caso houvesse um dito contato, descrições mais específicas de historiadores teriam dado ênfase ao “contato”. Por exemplo: o túmulo do governante maia Pakal, que Von Däniken apresenta como uma das pistas de contato com aliens no passado, data de 603-683 depois de Cristo, o que significa que nessa época viviam no outro lado do mundo, os bizantinos, povo conhecido como o remanescente da antiga civilização grega. E se houvesse o contato direto com seres do espaço, historiadores bizantinos deviam ter informado. Ou as linhas de Nazca quase no mesmo período (200 a.C. - 700 d.C.), não há relatos em outras partes do mundo, e o que mais Von Däniken usa como prova são os mitos dos povos antigos. 

Mas e se os deuses tivessem visitado só o continente americano? Bom, não é o que o autor diz, citando como provas: a civilização sumeriana, as pirâmides em Gizé, o mapa de Piri Reis...

E nenhum grande antropólogo chegou a mesma conclusão, sendo que teorias importantes como da evolução não só foram descobertas por Darwin, mas Alfred Russel Wallace também chegou a mesma conclusão que ele; a genética de Mendel, foi redescoberta por pesquisadores que chegaram a mesma conclusão que Gregor Mendel...

Por ser a história humana um pouco obscura em muitos pontos é típico ver teorias mostrando coisas do tipo: só tecnologia avançada para fazer aquilo! Como eles fizeram isso?

Uma prova que fez a teoria de Von Däniken cair do cavalo foi o pilar de ferro encontrado em Delhi, Índia, na qual Von Däniken aponta como algo feito por extraterrestres e que o pilar nunca enferrujaria, mas o pilar enferrujou! Acabando com uma das pistas do primeiro livro.

O curioso é que o autor só publicou livros do mesmo estilo, depois do sucesso de Eram os Deuses Astronautas? Sempre com um novo argumento, mas a mesma história de sempre: convertendo mitos antigos para a ficção científica.
Alguns críticos disseram, na época da publicação do livro, que a teoria dele era um plágio descarado do conto O Chamado de Cthulhu (The Call of Cthulhu), que deu origem à Mitologia de Cthulhu (Cthulhu Mythos), do brilhante escritor, de horror norte-americano, HP Lovecraft.


No documentário Anciest Aliens do History Channel, Robert R. Cargill, arqueologista bíblico diz:

“Não há nada na teoria de Von Däniken que não possa ser atribuído à engenhosidade humana.”


De fato, isso é verdade, a idéia de Von Däniken de tentar explicar o porquê de tantos mitos, histórias e seres mitológicos é boa, mas não tem nexo. Nós somos criativos, mas Von Däniken diz que somos criativos por que os extraterrestres tidos como deuses nos fizeram assim como eles, porém se isso é verídico de onde surgiram os ditos deuses? A teoria de evolução, que já foi provada, não só se adéqua à lógica, como mostra o universo de uma forma perturbadora e fascinante, o que se adéqua à antropologia e à psicologia, matérias que se encontram no livro desse escritor.


A idéia que tínhamos sobre deuses e Deus vieram na antigüidade para suprir nosso desejo em realizar desejos e nossas histórias em explicar o que não tinha ainda uma explicação em nossas mentes cientes. Hoje a ciência contesta o Deus cristão, mostrando que se realmente existe ele não é nenhum pouquinho bondoso e que o mal é uma conseqüência da vida e não uma energia oposta.


Sobre a língua dos sumérios: é de conhecimento da antropologia de que existem povos que apresentam línguas e dialetos isolados.


Quem tem conhecimento aguçado sobre antropologia, negará por cem vezes essa teoria, uma vez que as respostas podem ser mais simples e menos fantasiadas. O Deus Sol, por exemplo, supostamente, pode ter surgido com o homo sapiens sapiens, bem como é típico uma deidade masculina dominar as outras, o machismo comum mostra que é um mito antigo criado a partir de conceitos do homem primitivo. O sol, a Lua e as estrelas eram venerados por todos os povos antigos, que se encantavam e criavam mitos para explicar o que não sabiam.


Os conceitos de idiomas, religiões, superstições, arte, entre outros, estão associados ao homo sapiens sapiens, ou para outros ao homo erectus; pois isso mostra o que a biologia já expressa: espécie humana.


É lógico que existem mistérios e a teoria de Von Däniken é excelente, mas falta algo concreto. É que nem o espiritismo, é uma crença e é praticada, mas não sabemos se realmente existe vida após a morte. Ou a crença em OVNIs (Objetos Voadores Não Identificados), da qual existem fotos e vídeos mostrando supostos OVNIs, mas 95% dessas fotos é montagem, apenas 5% permanece um mistério, segundo os parapsicólogos. O mesmo se aplica as ditas fotos e vídeos de fantasmas, como disse anteriormente o espiritismo, cuja maioria é pura balela e piada sem graça.

Contudo se isso fosse verdade os cientistas seriam os primeiros a apoiar suas hipóteses, pois o que é mais perturbador que a teoria da evolução? Os cientistas acharam milhares de provas e evidências de que evolução faz parte do todo astral, o cosmos. Agora os cientistas procuram vida no espaço, vida inteligente. O que leva a crer que a ciência ou os cientistas escondem algo, se existem coisas tão perturbadoras na ciência como a teoria de evolução? O que há de perturbador na TDA? Não há nada! Não é perturbadora e nem a teoria tem fundamento.

Tudo isso ainda não passa de ciência especulativa, pseudociência, que diferente de teorias como da relatividade e da evolução, ainda não há uma única prova para sua aprovação, e mesmo assim tem gente que duvida da teoria de Darwin e que a Relatividade de Einstein é viajar na maionese.
E mesmo conceitos biológicos, relativos, genéticos, físicos, antropológicos e químicos tendem a ser quebrados com o tempo, pois só conhecemos 0,5% do universo (se isso não é muito!).

Fontes de pesquisa

  • Erich Von Däniken, Eram os Deuses Astronautas? Editora Melhoramentos. 
  • Wikipédia em inglês, artigo: Stargate. 
  • Wikipédia, artigo: Suméria, Ilha de Páscoa. 
  • Zero Hora Jornal_artigo: quais os mistérios da Ilha de Páscoa, pergunta do leitor. Edição? Ano?
  • http://www.geocities.com/Athens/Atrium/6509/cpiramidesorion.html - a partir de artigo da Revista Planeta - Grandes Mistérios nº 3; Autora: Lu Gomes 
  • Ancient Aliens, documentário do History Channel, no You Tube (www.youtube.com.br, vídeo: Ancient Aliens - Os Ets na Antigüidade . 
  • http://ziperlista.blogspot.com/2010/04/5-grandes-misterios-do-nosso-pais.html 
  • http://pt.fantasia.wikia.com/wiki/Sum%C3%A9 
  • Aurélio Buarque de Holanda, Dicionário da Língua Portuguesa. Editora nova fronteira. 
  • Wikipédia em inglês, artigo: Eram os Deuses Astronautas; e Erich Von Däniken. 
  • Wikipedia, artigo: Stonehenge. 
  • Mário Schmidt, Nova História Crítica, 5ª série, editora Nova Geração, São Paulo, 1999. 
  • Enciclopédia Delta Universal. Ano? Edição?
  • Wikipédia em inglês, artigo: O Universo Noon. 
  • Wikipédia em inglês, artigo: As Mil e Uma Noites
  • Wikipédia em português, artigo: Misticismo Nazi 
  • Wikipédia em português e em inglês, artigo: dólmen, menir. 
  • Sitchin, Zecharia. O 12º Planeta. Traduzido por Ana Paula Cunha. Editora Best Seller. 1976. 
  • Eram os Deuses Astronautas? Documentário. 1970. Taurus Film Video.
Escrito por: Vagner Cariolato Caldas