segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Qual o melhor smartphone para comprar? Ou melhor: qual o menos pior smartphone para comprar?

Lista do PROCON-SP sobre as empresas de smartphones mais reclamadas.

Ou a obsolescência programada está em alta em aparelhos eletrônicos ou é o baixo custo do produto que incide na sua qualidade, e é este o argumento que a indústria de eletrônicos usa.

Qual smartphone comprar?

Resisti com o meu celular qwerty da Samsung até quando ele decidiu se apagar de vez, durou 4 anos! Aí desta vez me vi tentado a comprar um smartphone, este permite ouvir músicas online através do wi-fi, ver vídeos, notícias, acessar redes sociais, sites de bate-papo e ler pela internet de maneira leve e prática, totalmente inverso dos notebooks que continuam pesados e mais fáceis de derrubar e estragar.

Conhecendo a reputação da empresa: ReclameAqui e Procon

Comecei pesquisando a reputação das empresas no site ReclameAqui e praticamente todas as empresas tinham reclamações estrondosas. Então pesquisando mais em sites de busca achei uma lista magnifica do PROCON de São Paulo do ano de 2016 (existe lista dos anos anteriores, mas decidi ver as empresas mais reclamadas do último ano). Nessa lista estão as 50 empresas mais reclamadas, as reclamações são fundamentadas, ou seja, visam a qualidade do produto e o mal atendimento ao consumidor.

Lista das empresas de smartphones mais reclamadas no PROCON-SP numa tabela mais simples e fácil de entender.


Ou acesse: http://www.procon.sp.gov.br e vá na barra Reclamações Fundamentadas.


Resultado do PROCON e a voz do povo

O meu celular qwerty da Samsung era uma porcaria e a maioria das pessoas que tinham ou tiveram celular dessa marca só tinham reclamações. O PROCON-SP só comprovou o que o conhecimento popular (a informação que as pessoas passam para outras, a voz do povo é a voz de Deus!) já sabia. Das marcas de celulares mais vendidas somente a LG teve resultado regular, mas isso não significa que é boa, ótima ou excelente.

Até a poderosa Apple não se escapou da má fama de mau atendimento e má funcionalidade do produto. A pequena Positivo Informática conseguiu confirmar a péssima qualidade que as pessoas tanto falam. E o grupo LeNovo/Motorola/CCE foi o que mais resolveu reclamações.


Conhecimento dos técnicos de informática

Depois de me decepcionar com essa lista, onde a menos pior das empresas foi a LG Eletronics; resolvi ver vídeos no YouTube sobre pessoas com problemas de celular. Até mesmo a inofensiva LG na lista do PROCON-SP tinha lá muitas reclamações e vídeos do tipo não compre celular LG. O Meu notebook é da ASUS e tive problemas com o suporte e o serviço de atendimento ao consumidor, então descartei a possibilidade de também comprar nessa marca, mais ainda depois que vi a vergonhosa lista do PROCON-SP.

E assim ia nos resultados de vídeos no YouTube: não compre celular Motorola, não compre celular ASUS, não compre Samsung e por aí vai.

Então achei um cara chamado Doutor Reclama. O único youtuber tech (pessoas que fazem vídeos sobre equipamentos tecnológicos) que falava a verdade sobre os aparelhos celulares e mais: ele não era patrocinado por essas empresas. Grande parte dos youtubers tech são financiados por empresas e isso acaba os impedindo de falar mal delas (ou seja: youtubers vendidos).

Não era o que acontecia com o Doutor Reclama e dos muitos vídeos que assisti ele dizia: “...não compre celular brasileiro, compre celular chinês; porque a qualidade dos celulares chineses é superior. Eles nos vendem lixo pra nós e lá fora vendem aparelhos bons...”

Mas não é qualquer celular chinês que é bom, existem 3 grandes marcas lá fora que se destacam na qualidade e elas são: Xiaomi, OnePlus e Huawei.

Página do Doutor Reclama no YouTube, o único dos youtubers tech que vi falando a verdade sobre os smartphones.


Compra no Mercado Livre

Pode parecer loucura, mas o Mercado Livre é o melhor site pra você comprar coisas pela internet, eu já comprei até HD de notebook lá! A questão é que você tem que ver a avaliação do vendedor. Nunca compre de um vendedor que tenha fama de ruim ou grande número de avaliações regulares. Compre de um vendedor de avaliação boa.


Exemplo de um bom vendedor.

Em sites de grandes varejistas como Americanas, por exemplo, já se adota o estilo de venda por terceiros como faz o Mercado Livre; mas sem tu saber se o vendedor de fato é bom e detalhe: por esse motivo as Americanas estão na lista das 50 empresas mais reclamadas do PROCON de São Paulo!

Doutor Reclama me aconselhou a comprar pelo Mercado Livre e a comprar um Xiaomi porque segundo ele: “se é pra ser enganado, que seja com grande estilo”. hahaha


Problemas e qualidades dos celulares chineses

O grande problema dos celulares chineses é a garantia! Embora sites como a GearBest ofereçam 1 ano de garantia, o celular tem que ser mandado pra China e você pode ficar até 3 meses sem celular. Mas pense o seguinte um celular brasileiro quando dá defeito fica até 2 meses na assistência técnica, quando não volta com defeito piorado.

Quando eu comprei um ar-condicionado chinês no Uruguai tive medo de dar problema e até hoje nunca deu. Muitos ares-condicionados nacionais dão problemas e as empresas querendo se escapar da responsabilidade colocam a culpa no técnico de instalação.

A grande maioria dos especialistas de smartphones concordam: a qualidade dos celulares chineses é superior ao dos brasileiros e entre os motivos estão o baixo custo para produção de tecnologias na China (é a mão-de-obra mais barata do mundo!),  a experiência em produção de equipamentos tecnológicos e o acesso que as empresas chinesas tem equipamentos de terceiros (peças e acessórios, tudo fica perto lá na China, há uma logística).

E tem uma coisa mais atraente: o preço!

O custo-benefício dum celular chinês é 3 vezes superior comparado com um brasileiro.

No Brasil isso poderia ser melhorado se a tributação não fosse intensa e não houvesse tantos embaraços burocráticos com algumas leis trabalhistas que só impedem a produção e a competividade.


Qual smartphone comprar?

Eu optei por comprar um Xiaomi Redmi 4x por seu custo-benefício, nada muito caro e nem muito avançado. Comprei pelo Mercado Livre porque esperar da China leva até 2 meses!

Mas se você tem receio em comprar um celular saiba: que o custo para mandar um técnico arrumar um celular chinês sai mais barato dependendo do modelo e assim você não precisa ficar 1 mês esperando a assistência técnica liberar seu celular.

Das marcadas citadas pelo PROCON-SP não tem nenhuma também que tenha um pós-venda eficiente. A ASUS tem uma das piores assistências técnicas e o pior pós-venda segundo alguns técnicos em smartphones.

Mas se você ainda tem certa insegurança e deseja comprar um celular nacional: compre um celular da marca LG que pelo menos tem uma assistência técnica mais eficiente e um atendimento regular. E pesquise bem a respeito do celular dessa marca que deseja comprar! Porque celulares como o LG K10 e LG X Cam estão entre os mais reclamados.

Eu não recebi ainda meu Xiaomi Redmi 4x e nem sei se vai prestar, existem muitas reclamações desse modelo e dessa marca na internet; mas outras empresas têm 10 vezes mais reclamações sobre seus celulares, então tive que escolher o menos pior! kkkkkk


Se for comprar: Boa sorte! Porque no mundo do consumismo a obsolescência programada parece estar mais e mais em alta! Por um lado aumenta o progresso tecnológico, por outro destrói o planeta. Temos que pensar!

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

World of Craft - The Battle for Azaroth: uma cópia de Senhor dos Anéis e Starcraft, mas com um gráfico incrível

As semelhanças entre Sarah Kerrigan de Starcraft e Sylvanas Windrunner de World of Craft vão além do nome que há nas duas franquias (craft), pois ambas foram possuídas por uma força maligna e suas respectivas franquias pertencem a desenvolvedora Blizzard Entertainment, Inc. que torna possível uma possível adaptação sem ser taxada de plágio. 
[Reprodução dos trailers via YouTube.]



Que a franquia de jogos, de RPG, World of Craft é uma cópia fraca em termos de história da trilogia de J.R.R. Tolkien, sem dúvida, não dá pra discordar; contudo agora o jogo World of Craft - The Battle for Azaroth passou um pouco dos limites em termos de “inspiração”.



Um problema hollywoodiano: efeitos especiais e direção incrível, mas história pobre

Eu não sou um expert em jogos de videogame e computador e realmente fujo desse mundo dos jogos por acreditar que eles deixam o ser humano como um zumbi; mas tenho que concordar que os gráficos de muitos jogos, inclusive World of Craft são incríveis!


Esse problema de se ter uma boa produção e uma história ruim é muito vista em filmes de Hollywood, não é uma exclusividade dos jogos virtuais. King Kong de Peter Jackson é o exemplo mais notável de um filme com excelente direção e efeitos visuais, mas péssimo se tratando de história e respectivo desenvolvimento e adaptação. O fato é que King Kong de Jackson foi um remake e não passou disso, mas mostra a fraqueza de Hollywood em desenvolver uma história interessante. Outro desastre foi John Carter da Disney, onde a produção e os efeitos especiais estavam de parabéns; contudo a narrativa continuava ruim.



A história nada original do jogo

As semelhanças com os livros de Tolkien fica mais evidente no trailer lançado pela Blizzard onde nos deparamos com orcs batalhando com a Aliança (união composta por homens, elfos, anões e outros seres mágicos) e se aprofunda na introdução da vilã Sylvanas Windrunner que sem sombra de dúvida é uma cópia da vilã Sarah Kerrigan de Starcraft e que como ambos os jogos pertencem a Blizzard, então, não sei se dá pra se chamar de plágio ou de uma adaptação usual. Em Starcraft: Sarah Kerrigan é uma humana que lutava contra extraterrestres inimigos e por fim acaba possuída pelos mesmos a fim de batalhar contra os humanos; em World of Craft: Sylvanas Windrunner é uma elfa que antes lutava contra o inimigo e acaba sendo controlada por este sendo usada do mesmo jeito que Kerrigan, como fantoche de guerra. Ambas podem ter sido inspiradas na figura do zumbi do folclore haitiano, onde um mago negro através da prática do vodu controla um humano e faz dele seu escravo.

No livro O Hobbit temos a batalha dos cinco exércitos que mais tarde seria a introdução ao mundo de Tolkien e da Terra-Média (a midgard dos nórdicos). Em World of Craft temos uma breve introdução também do que foi a batalha de elfos e homens e que mais tarde se formou a Aliança que existe no mundo de Azeroth.

Se Tolkien fala de uma Terra-Média, onde é um continente parecido com o europeu; em World of Craft nos deparamos com um planeta chamado Azaroth. Uma sacada bem bacana dos criadores da história possivelmente influenciados por autores defensores da teoria dos deuses astronautas.

A cousa se agrava quando a vilã Sylvanas Windrunner surge e esta parece ser uma versão adaptada também de Saruman, embora ao que me parece esse, nos livros, optou por descrença nos homens em se unir a Sauron, no filme Constantine vemos isso com o anjo Gabriel.

Por fim há a figura do Lich (figura folclórica de um mago das trevas que usa magia negra para continuar vivendo e para dominar os outros. Parece muito com o mago negro do vodu haitiano também) que criou proporções na literatura a partir dos trabalhos de Robert E. Howard como Skull Face (1929) e Scarlet Tears [fonte: Wikipédia: Lich], portanto pré Tolkien. Porém fica óbvio que há um quê de Sauron no Lich King de World of Craft.



Será que um jogo precisa de uma história muito boa?


Como já dito World of Craft é um jogo cujo os gráficos são inquestionáveis e a jogabilidade fica por conta dos gamers de plantão. A análise aqui feita é só sobre a história e não sobre os efeitos visuais e sobre o modo de jogar.

Se World of Craft tem uma história mal cozida, o mesmo não acontece com a franquia Dead Space, por exemplo. A reflexão sobre a interpretação humana do universo é incrivel. Esse jogo que tem por influencia os trabalhos de H.P. Lovecraft traz uma narrativa onde há uma reflexão sobre a ufologia poder se tornar uma religião tão devastadora quanto as religiões atuais. O jogo faz uma análise do contraditório na mente humana e do desespero do homem diante de um universo vazio e desconhecido.

Em jogos virtuais a história não é tão importante quanto a jogabilidade, Mario Bros. que não nos deixa mentir; a história clichê de salvar a princesa do dragão não conseguiu desviar o sucesso gráfico e a jogabilidade do mesmo. Resident Evil 4 com Leon salvando a filha do presidente e se envolvendo em loucuras as vezes fora de lógica possível também não desviaram o sucesso do jogo. Plants Vs Zombies com seus zumbis com superpoderes impossíveis também não destruiram a fama de um jogo divertido e meio alucinógeno. 

O deplorável mesmo é quando se trata de algo que depende unicamente da história para manter o público em interesse como livros, HQs e filmes, que já não é o caso de um jogo virtual; o visual e a jogabilidade ditam as regras e por de trás temos uma história básica como num joguinho bem famoso dos experts: o xadrez.

John Carter foi uma decepção para a Walt Disney por depender apenas de uma história ruim para prender o público. O mesmo não acontece com os jogos de videogame. [Reprodução via Youtube]



domingo, 5 de novembro de 2017

Coisas do capeta


O comunismo, o islamismo e o bode. Embora o bode seja associado ao demônio, o sacrifício de animais é bem descrito na Bíblia!

Agora olha o que acontece quando endireitamos o símbolo comunista! kkkkk


Realmente é um fato que parte das religiões pagãs eram doentias e assassinas, lembremos do homem de vime dos celtas (wicker man); mas diferente do que muitos pensam nem todas as religiões pagãs eram realmente más.

Um autor de ufologia norte-americano chamado William Bramley em seu livros Gods of Eden considerou que a religião judaica e suas ramificações (cristianismo e islamismo) foram usadas para mudar o espirito assassino e anti-humano que as religiões pagãs em si tinham.

Mas historicamente as religiões pagãs eram uma confusão, porque como o próprio plural já demonstra eram várias crenças em vários locais do mundo, quando não numa mesma região tinha-se mais de uma religião com ritos diferentes; embora que com algumas crenças parecidas.


Os pagãos e a falta de um livro de história e leis


O que fez o judaísmo obter sucesso e influência foi o fato de que tinha escritos bem determinados com leis junto com histórias com certa moral. Embora que gregos e romanos tivessem seus contos e práticas muito bem escritas, eles não tinham um manuscrito de grande importância para seguir como a Bíblia e seus costumes e leis poderiam ser alterados com o tempo; os romanos, por exemplo, criaram um modelo de justiça próprio.

Já no Oriente nos deparamos com o hinduísmo e os vedas ambos representam as práticas religiosas mais antigas do mundo ainda vivas. O hinduísmo, por vezes, é visto como uma religião pagã, mas será que realmente é? Na verdade não, pagão se refere a campo e paganismo as diversas religiões campestres que haviam ainda na Europa Medieval. O termo pagão surgiu durante a Idade Média para definir os não cristãos, geralmente tratados como “não civilizados pelo amor de Cristo”.


Interpretações históricas erradas


É um fato que na história sempre há interpretações equivocadas como de Margareth Murray que criou uma teoria pseudo-religiosa de que a figura de Cernunnos seria um deus-bode onipotente na Europa pré-cristã no livro O Culto das Bruxas na Europa Ocidental. Marija Gimbutas, brilhante estudiosa que descobriu a origem dos  proto-indo-europeus, também cometeu o mesmo erro achando que a Europa pré-ariana seguia uma linhagem matriarcal e um culto à deusa. Ambas teorias são interessantes se não fosse o fato dos europeus terem sido politeístas no caso da teoria de Murray e de objetos arqueológicos na Europa antiga indicando uma sociedade mista contra a teoria de Gimbutas.  Sabe-se que o culto à Cernunnos foi real, mas ele não era um deus-onipotente e que a Europa pré-ariana era em si mais comunitária (socialista) em relação a população proto-indo-europeia que viria residir posteriormente na Europa.


Símbolos sagrados e demoníacos

Que símbolo pagão mais marginalizado que o pentagrama? Contudo o símbolo só se torna demoníaco quando invertido (Será que foi daí que veio a inspiração da cruz virada? kkkkk). Cornelius Agrippa no livro De Occulta Philosophia Libri III lembra de que o pentagrama é mais do que um símbolo pagão, ele é a síntese energética do corpo humano. Leonardo da Vinci já havia notado a semelhança entre o pentagrama e o corpo humano na figura do homem vitruviano muito antes de Agrippa.

Pentagrama de Cornelius Agrippa.

Fonte da imagem: 

Pentagrama no homem vitruviano de Leonardo Da Vinci.



Mas será que o judaísmo, o cristianismo, o islamismo e também o comunismo são de fato ideologias boas?

Esta é a bandeira da turquia na vertical.


Agora veja o que acontece quando adicionamos a caricatura do bode!

O que falar do judaísmo e sua injustiça mais famosa: a crucificação de Cristo, isso sem contar dos escândalos do rei Davi e de outros personagens bíblicos como Caim que matou Abel.

Ou do cristianismo sentenciando milhões de pessoas à morrerem vivas nas fogueiras santas. Ou do islamismo matando com suas guerras de expansão, da opressão à mulher e a homofobia latente que levou milhões à morte violando inclusive um dos ensinamentos dados a Moisés por Deus (Não Matarás n’Os 10 Mandamentos).

Há conservadores que discordam do nazismo ter sido de direita, contudo as características do regime criado por Adolf Hitler tem mais características de direita do que esquerda.

E o que falar do comunismo? 6 milhões de mortos só de fome, lembrando que ultrapassou o colonialismo inglês que matou 3 milhões de fome na Irlanda do século XIX. Sem contar os gulags, a violação dos direitos humanos e contando que o comunismo com sua síntese ateísta conseguiu ser pior que todos os demais, exceto em comparação com o islamismo.

Realmente o paganismo é uma superstição santa comparada à essas citadas acima, porque não concentrava poder. E eis o problema de todas essas ideologias: a grande concentração de poder nas mãos de poucos.




Agora vamos para uma análise final das imagens:





Então por que a estrela de Davi tem 6 lados, porran?


Tudo dá 6 fazendo cálculos da numerologia. E olhem que os judeus são bem supersticiosos com números, tá aí a cabala que não me deixa mentir!


Resumimos que o número da besta (666) é bem representado pelo hexagrama, ou melhor: a estrela de Davi.

A mesma coisa não ocorre com octagrama, pois é a forma mais próxima do que seria o brilho de uma estrela.


Fonte da imagem:



domingo, 10 de setembro de 2017

A origem da palavra dracarys e uma aulinha de história

A águia era símbolo do império romano e da alta realeza que o império representava. As similaridades entre águias e dragões é a mesma entre aves e dinossauros e sabemos que as aves descendem dos dinossauros.

Na imagem: águia na tumba de Marcus Valerius Messalla Corvinus (64 aC - 8 dC), general romano. A tumba fica no Museo del Prado, em Madri. 



Eu perguntei pra minha irmã o que significava a palavra dracarys que aparece na famosa série Game of Thrones e ela depois de pensar um pouco não soube responder. Aí deixei ela pesquisar na internet e eis que me disse:

- Vem do lituano e significa “fogo de dragão”!

huehueheuheueu

Eu dei risada, né.

Aí expliquei:

- Dracarys vem do latim draco que significa dragão e aris do latim aris.
Contudo eu estava um pouco errado:

Dragão em inglês é dragon que vem do grego drakon e arys do latim aeris. Sem falar da possibilidade de radicais proto-indo-europeus, sim italiano e grego são línguas de vem dessa língua antiga, mas é aí já tem que ser um linguista especialista em línguas antigas pra se concluir tal afirmação.

Dracarys significa: “ar de dragão”.

Essa conclusão eu tirei por conta própria, porque me lembrei da época que eu estudava os radicais latinos e também porque no inglês e no latim (se eu não me engano) o adjetivo sempre vem antes do substantivo.

No inglês, língua do linguista que criou a linguagem valiriana, dragon air significa ar de dragão (dragon= dragon, air = ar).

Mas dá pra usar como comando:

Dragão-ar!

Ou dragão+ar, assim como ctrl + alt kkkk.

Contudo se o linguista que criou a linguagem valiriana disse que arys significa fogo, então quem sou eu pra discordar! Todavia o contexto de toda a trama é baseada na história pré-medieval e medieval.

Em nórdico drakkar era o nome dado a uma embarcação que tinha um dragão esculpido na proa.


Em português a palavra dracarys seria traduzida para dragar que existe em português e significa arrastar. Contudo a origem de dragar vem do inglês drag que significa arrastar e não tem nada haver com dragão (fonte: Dicionário Aurélio do Século XXI).


O contexto europeu medieval na trama

Todo o universo de Game of Thrones é baseado no mundo medieval europeu e aí temos a queda de Valíria (queda do império romano), os dothraki (turcos), casas nobres de westeros (casas nobres europeias), os filhos da floresta (fadas e duendes), a religião dos sete (paganismo), a religião do deus vermelho (cristianismo) e por aí vai.


Pesquisando no Guugol:

Aí lá fui eu digitando:

Dracarys etimology
Dracarys meaning

E os resultados todos diziam: dragonfire!

Dracarys também encarna a expressão italiana per attaccare que significa “atacar”. JK Rowling usou o latim em Harry Potter para as palavras mágicas. No contexto histórico o latim foi considerado língua sagrada; pois era usado pela Igreja Católica Romana do Ocidente como língua vital, porque todos os escritos da igreja católica romana estavam em latim. Todos os estudos, crenças e tradições que os romanos anotaram estavam em latim e desconhecer o latim tornava os sacerdotes incultos. Lembre-se que foi a Igreja Católica Romana do Ocidente que herdou todo o império romano do Ocidente.

Se lembra de quando sua professora de história dizia que “houve uma época em que todo o conhecimento estava nas mãos da igreja”?

Poisé, e hoje o conhecimento está mais acessível através da internet e isso nos mostra duas questões: ou são os sites de busca ruins ou somos nós que ficamos preguiçosos demais em pesquisar a fundo.



quarta-feira, 17 de maio de 2017

Os desertos nos trópicos – o erro nos mapa-mundis

Mapa Mundi mostrando as verdadeiras zonas em paralelos. Mapa construído a partir do mapa mundi em relevo e vegetação Envisat - ESA.

Quando você estudava na aula de geografia sobre a partição do mundo em linha do Equador e Trópicos você estava sendo enganado da mesma maneira que achava ser o Hemisfério Norte maior que o Sul na antiga definição de Mercator.

Trópicos estão errados

Pela avaliação do clima, porcentagem de UV, desenvolvimento vegetal e animal, desenvolvimento humano e áreas desérticas ou em processo de desertificação; podemos tirar por base que os verdadeiros trópicos estão nos paralelos 15º e não mais no 20º como costuma ser colocado, mesmo assim podemos continuar os utilizando sem grandes problemas, porém o paralelo 15º nos oferece maiores respostas.

Entre os paralelos 15º e 50º:

* Estão os desertos;
* A baixa vegetação (menos florestas e mais estepes);
* Estão os países mais bem temperados;
* Se encontram as nações mais ricas e também mais desiguais do mundo.


Entre os paralelos 15º e 15º:

* Estão as grandes florestas equatoriais;
* A grande diversidade biológica do mundo;
* E o clima mais quente possível.


Países de clima frio = nações mais desenvolvidas do mundo
Os tipos de clima e sua influencia no desenvolvimento vegetal, animal e humano. Notamos que as zonas mais desiguais são aquelas em países temperados. Imagem montada a partir do Envisat - ESA.

As únicas exceções são as nações que sofreram com ditaduras na segunda metade do século XX (20), ou seja, no inicio dos anos 50 e fim nos anos 90 e aí temos Rússia, Cazaquistão, Países Bálticos, Chile e Argentina.
No resto o desenvolvimento notável dos países nórdicos e Canadá só é afetado pela porquice dos ingleses e irlandeses.

Notável também é que em volta do paralelo 50º temos uma vegetação bem condicionada que só é deixada pra trás pela vegetação equatoriana que se encontra entre os dois paralelos 15º.


Desertos entre os paralelos 15 e 50

O mais notável são os desertos que estão entre os paralelos 15º e 50º, isso interfere no desenvolvimento humano, já que o homem necessita da vegetação tanto para agricultura como para pecuária.

Talvez o motivo principal da zona equatorial não ser tão desenvolvida esteja no fato de ser uma zona muito quente e mais própria para a matéria vegetal do que animal.


Na climatologia

Essa crença em definir o clima em apenas 3 é tosca, mas ajuda a entender mais facilmente a influência da luz do Sol no mundo e seu efeito climático. As zonas temperadas são como uma casa com laje, cujo efeito do clima só é sentido ao entardecer e no amanhecer; enquanto as zonas frias e zona a quente são como casas de madeira que esfriam ao anoitecer e esquentam ao amanhecer por causa da influência do Sol.


O mais tosco, disso tudo, é acreditar nos trópicos de Câncer e Capricórnio, assim como aqueles que acreditavam que a definição de Mercator estava correcta (sic)!

terça-feira, 16 de maio de 2017

6 motivos que tornam o nazismo de direita e 3 que o tornam de esquerda

A definição de direita e esquerda no mundo contemporâneo tem origem na França depois da revolução francesa, onde os conservadores ficavam à direita da assembléia e os socialistas à esquerda. As cores adotadas por ambos também teve origem na bandeira francesa, onde os conservadores adotariam o azul e os socialistas o vermelho. Aqueles que ficavam divididos e eram neutros adotaram o branco.

O próprio nome do partido NAZI (Partido Nacional dos Trabalhadores Alemães) é uma fusão entre o nacionalismo-conservacionista e esquerdismo-partidário. Essa fusão daria origem a uma poderosa politica de centro-direita na Alemanha.

O partido nazista ganhou popularidade ao defender os agricultores e pecuaristas, justamente os mais pobres e tradicionais na Alemanha.

6 motivos que o tornam de direita:

1. Valorização da família - acredite ou não; mas os alto oficiais do partido NAZI tinham uma família tradicional. O nazismo defendia como valores a família tradicional alemã dando ênfase na união baseada no matrimônio. O lebensborn project não passava da criação de um exército de fantoches que seriam usados na guerra e depois poderiam ser integrados na sociedade alemã. George Lucas usou essa ideia do lebensborn project e criou o famoso exército de clones no episódio II de Star Wars – O Ataque dos Clones.

2. Nacionalismo - nacionalismo é de direita, USA tá cheio disso. É de ideologia comunista a integração total

3. Segregação e perseguição a minorias étnicas (judeus, eslavos, ciganos...) - os ingleses e espanhóis mataram indígenas adoidados; 

4. Uma religião única e forte fundida ao estado - os nazistas não eram cristãos, mas sim tinha uma neo-religião pagã baseada nos cultos da religião ariana; 

5. Só faz sexo quem é normal (LEBENSBORN PROJECT - PROJETO DE EUGENIA) - embora a direita cristã defenda os deficientes e homossexuais, ela é contra a cópula de pessoas deficientes e homossexuais;

6. Escravizar povos inferiores – acredite ou não, mas isso é uma característica de direita. Temos que lembrar que na direita quem prevalece é o mais forte (O FORTE É MAIS FORTE SOZINHO – capítulo do Mein Keimpf – a Bíblia nazi) e que as grandes civilizações do mundo escravizaram o pessoal loucamente. O fim da escravidão só iniciou graças a Igreja Católica que era uma entidade estatal e que viria a criar o socialismo. As raízes do socialismo têm inicio na igreja católica e fim no iluminismo, quando Karl Marx compensou o humanismo associado a intervenção politica, mas dando ênfase numa igualdade utópica possivelmente vindo dos ideais iluministas e da revolução francesa, muito anterior a Marx.


3 motivos que o tornam de esquerda:

1. O estado diz o que você deve fazer – se por um lado a direita diz “vá e faça”, o socialismo tende a dizer o que você deve fazer para o bem maior. E assim Hitler fez no quesito social, colocando as pessoas onde elas deveriam estar.

2. Influência do estado na economia – se por um lado a direita diz “vá e faça”  economicamente, no socialismo há a ajuda estatal. As medidas do partido nazista foram de estatizar a economia, mas deixando certa liberdade aos empresários no inicio. Contudo lembramos que quando o Reino Unido entrou em guerra contra os nazistas a economia também se tornou estatizada, assim como nos Estados Unidos.

3. Só é possível se for pra todo mundo – a ideia de um vilão malvado querendo dominar o mundo surgiu na segunda guerra com Hitler. Embora houvesse Alexandre O Grande, Gengis Khan e Napoleão; a ideia é contemporânea. O socialismo só é possível se for global, pois se não fosse iria ocorrer o mesmo com cubanos que fogem para os Estados Unidos do regime iniciado por Fidel Castro. Hitler sem dúvida sabia que nações onde a liberdade era grande, a economia e a sociedade também se desenvolveriam melhor. Note que as nações germânicas só viriam alcançar o desenvolvimento esplêndido por causa da grande liberdade socioeconômica que tinham, no império romano tamanha liberdade era demasiadamente limitada. 

O liberalismo politico e a pouca burocracia tem raízes nos códigos orais de conduta dos povos germânicos. Os vikings, por exemplo, não tinham tribunais ou leis escritas; mas tinham uma reunião chamada de “a coisa”, essa reunião era chamada assim devido a pouca atenção que davam ao comportamento. Note que embora os povos germânicos possam se gabar de seu liberalismo e da baixa burocracia, os casos de bullyng são piores nos países germânicos. 

Nota-se também que a caça as bruxas se inicia na Alemanha e o maior número de assassinatos se encontra nas nações celto-germânicas, enquanto os países latinos o número de mortos acusados de bruxaria é ilusório perto das nações germânicas. Há quem questione que o número de mortos é maior nas nações germânicas, porque era o lugar onde ainda residia fortemente religiões pagãs antigas.


E a democracia para direita e a esquerda?

Na extrema-direita as minorias não são representadas e são segregadas e na extrema-esquerda as minorias podem ou ser eliminadas para que a sociedade fique igual (como foi feito na Alemanha Nazi e na União Soviética) ou tenham direitos iguais.

Digamos que a direita segrega e a esquerda segrega e depois mata para igualizar uma população.


Triunfo da esquerda no mundo pós-guerra

O nazismo não só deixou a Europa e o mundo debitados fisicamente como também psicologicamente. As ações nazistas associadas a direita em sua maioria causaram um impacto tão grande que nações extremamente conservadoras como Reino Unido só vieram a acreditar nas politicas de direita quando a politica de esquerda fracassou economicamente por lá e fez ascender nos anos 80, muito depois da 2ª guerra, Margaret Thatcher usada como fantoche da direita demonstrando o apresso que o Partido Conservador britânico tinha pelas mulheres e por seu dom na fala.


Foram pouquíssimas as nações que se conservaram à direita da situação e as que assim o fizeram se deram bem, como os Estados Unidos que, aliás, foi a nação que mais ganhou com a 2ª guerra e se manteve como soberana do mundo.


sábado, 13 de maio de 2017

Lúcifer é versão cristã de Prometheus e Adão e Eva do mito de Pandora!

O
Lúcifer de Gustave Doré

Nem precisaria eu dissertar sobre o assunto, mas vamos lá!


Lúcifer, o anjo caído, não aparece no Velho Testamento!

Os judeus não acreditavam num ser do mal supremo, isso veio da religião ariana e aparece nitidamente na religião zoroastrista. Note que em Isaías 14,12 a menção a Lúcifer se refere a tradução latina e ao planeta Vênus conhecido pelos romanos como Lúcifer (lux= luz, fera= que contém; "aquele que tem luz", "o iluminado").

"Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações!"

A menção é dirigida ao rei Nabucodonosor e não ao próprio demônio em pessoa. Já em Jó a menção é de um demônio e não um ser de poder igual ao de Deus, mas semelhante. Nota-se também a presença dos monstros leviatan e behemoth!

Na mitologia germânica o deus Loki se assemelha muito com o Lúcifer cristão. Mitólogos comparam também a semelhança incrível entre o deus germânico Balder, o deus indiano Krishna com Jesus Cristo.


Demônios uma crença universal

Os judeus acreditavam em demônios, assim como Sócrates que dizia que parte de seu conhecimento vinha de um demônio que ora o ajudava, ora o atrapalhava. Os árabes também acreditam em demônios e os chamam de djins (gênios em português).

A palavra demônio vem do indo-europeu demon (de=o, do; mon= meio) e significa: “intermediário” ou “aquele que está no meio”.

Na índia nos deparamos com os devas, no Japão com os samis, embora que os samis seriam entidades mais próximas aos vanes e ases da mitologia germânica por exemplo.

Na mitologia germano-celta as fadas, os elfos e os dragões são os seres intermediários. Tanto é que na Idade Média Paracelso viria os colocar em classes divididas nos 4 elementos: ar, fogo, terra e água.

Então resumindo: Os judeus acreditavam em demônios, mas não acreditavam que o poder dos demônios fosse maior ou igual ao de Deus.


Mitos transformados?

Os cristãos eram diferentes dos judeus, primeiro porque eram mais apegados a cultos pagãos simples e moderados. Note bem que o cristianismo só conseguiu vingar na Europa, porque a igreja teve que se dobrar ao paganismo que lá havia. Os europeus se negavam a abandonar a adoração aos ídolos, o fim das festas estacionais, o fim da adoração ao fogo e a natureza e o fim dos templos.

A mesma coisa aconteceu quando Maomé, o profeta islâmico conquistou Meca: não podendo acabar com o culto da caaba, ele unificou em sua fé e disse que a pedra que caiu do céu (um meteorito – uma estrela cadente – que, possivelmente, salvara uma tribo de árabes perdida no deserto com fome e sede e que caíra num Oásis indicando àquela tribo que onde ela caíra haveria água e comida. Meca seria erigida no Oásis onde a estrela cadente caíra e aquela estrela morta – uma pedra negra – seria adorada por ter salvado essa tribo de árabes) deveria ser um sinal de Allah e igualmente idolatrada.

Belas adaptações ou mitos semelhantes?

“Quem conta um conto aumenta um ponto” ou “quem conta um conto inventa um pouco”, ou melhor: quem conta um conto inventa o que se esqueceu no conto.

Das duas, uma: ou foram mitos pegos dos gregos e transformados em crenças cristãs; ou já existiam, assim como a história do dilúvio ser um caso universal.

O mito do andrógino, por exemplo, não é de autoria de Platão (429-347 a.C.), ele possivelmente já existia na crença grega. Assim o vemos comparado ao mito de Pandora. Parte das histórias contadas já existiam quando os irmãos Grimm e Perrault os relataram em seus livros sobre contos de fadas, contudo é a adaptação do conto que difere os Grimm de Perrault.

Perrault os relata como realmente eram, os Grimm criam o “final feliz”.

Evidências a parte

Embora tudo indique que foram mitos adaptados, ainda é impossível provar que um dos lados está certo, até porque muitos contos foram ignorados e a falta de provas colocam a história como se fosse um caso jurídico.